Pecuaristas paranaenses miram a Crimeia

Segundo embaixador, produtores já desenham projeto para a península.

Segundo embaixador, produtores já desenham projeto para a península.

RIA Novosti / Vitaly Ankov
Península poderá ganhar centro de criação e processamento de carnes gerido por brasileiros, segundo embaixador russo.

Pecuaristas paranaenses poderão, em um futuro próximo, estabelecer fazendas de criação e centros de processamento de bovinos na Crimeia e em outras regiões do sul da Rússia, de acordo com o embaixador da Rússia no Brasil, Serguêi Akopov.

"Aos poucos, tanto Brasil como Rússia têm se dado conta de que simplesmente comercializar o produto tem seus limites. Já surgem projetos reais de criação de tais complexos. Por exemplo, um grupo de empresários paranaenses está trabalhando, com apoio do governo, em um projeto para a criação de um centro de criação e processamento de carne na Crimeia e no sul da Rússia", disse Akopov à agência Ria Nôvosti.

O Brasil é um dos maiores exportadores de carne à Rússia, mas o diplomata ainda relembra que há um potencial não explorado no sal, açúcar, tabaco e laticínios.

"[O Brasil] adquiriu grande experiência no setor de transferência de tecnologia e concepção científica (...) Acredito que nossos países tenham enormes perspectivas de parcerias no setor da produção agrícola", completa.

Com material da agência Ria Nôvosti.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.