Confira os principais projetos espaciais russos previstos para 2013

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Atracar o módulo Nauka (Ciência) ao segmento russo da ISS (Estação Espacial Internacional) e lançar o primeiro satélite privado e o primeiro cargueiro privado ao espaço estão nos planos dos cosmonautas russos.

Em 2013, a Rússia planeja testar dois novos VLS (veículos lançadores de satélites), o Angará e o Soiuz-2.1V, atracar o módulo Nauka (Ciência) ao segmento russo da ISS (Estação Espacial Internacional) e lançar o primeiro satélite privado e o primeiro cargueiro privado ao espaço. 

Confira os planos para esses e outros projetos espaciais de destaque da Rússia para 2013.

O primeiro voo do VLS Angará

O lançamento do novo VLS ecologicamente correto, o Angará, será realizado no segundo semestre de 2013, a partir do centro de lançamentos espaciais de Plesetsk.

Os trabalhos no projeto começaram em 1995. Seu bloco básico, o módulo de foguete universal, será utilizado para a construção de uma família inteira de foguetes de diferentes classes para, inclusive, substituir o foguete Proton.

Soiuz de pequeno porte

Em 2013, será realizado o primeiro lançamento do VLS Soiuz-2.1V, versão de pequeno porte do famoso foguete Soiuz, desenvolvido pelo centro de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias espaciais Progress, em Samara (na região do Volga).

A intenção inicial era lançar o foguete do centro de lançamentos de Plesetsk em outubro de 2012, mas um acidente durante o teste com o primeiro estágio do VLS no local adiou o lançamento.

O módulo Nauka será atracado à ISS

Desenvolvido desde 1995 a partir do módulo de carga Zaria, o módulo Nauka será atracado ao módulo russo Zvezda da ISS. O módulo Pirs, atualmente atracado ao Zvezda, será retirado do serviço e afundado.

O Nauka possui o braço robótico europeu (ERA, na sigla em inglês), uma câmara de despressurização, um banheiro e três postos de trabalho para astronautas.

Segundo o presidente da Corporação de Foguetes Espaciais Enérguia, Vitali Lopota, o Nauka será lançado pelo foguete Proton no último trimestre do ano. 

Voo tripulado à ISS em regime expresso

No final de março de 2013, será testado o novo regime de voo tripulado em direção à ISS, que permite realizar a viagem em seis horas. Antes, eram necessárias 48 horas para cumprir o percurso.

O voo direto é mais cômodo para os cosmonautas. A Soiuz irá atracar à ISS após quatro voltas em torno da Terra.

Um esquema semelhante foi testado já nos tempos da União Soviética. Desde então, o equipamento das naves espaciais se tornou mais sofisticado, o que permite criar condições mais confortáveis para a tripulação durante o voo direto.

O regime de voo rápido já foi testado no cargueiro Progress. A tripulação selecionada para o primeiro voo expresso será composta pelos cosmonautas russos Pavel Vinogradov e Aleksandr Misurkin e pelo astronauta americano Christopher Cassidy.

Primeiro satélite privado

Em 2013, a empresa espacial russa Dauria Aerospace pretende lançar seu primeiro veículo espacial. Trata-se do primeiro satélite privado da Rússia, totalmente construído com o investimento privado.

No final de 2012, a empresa venceu a licitação aberta pela Agência Espacial Russa (Roskosmos) para a construção de satélites baseados no padrão CubeSat.

A Dauria Aerospace planeja criar dois grupos de satélite, dos quais um será destinado à retransmissão de informações emitidas por outros veículos espaciais, enquanto o outro terá como missão o sensoriamento remoto da Terra.

Novo satélite para a fotografia espacial

Em 2013, a Rússia pretende lançar o satélite Resurs-P, projetado para obter imagens da superfície terrestre com até 70 centímetros de resolução.

O Resurs-P foi desenvolvido pelo centro de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias espaciais Progress para substituir o Resurs-DK1, em órbita desde 2006 e o único satélite civil russo projetado para fazer imagens de alta resolução.

Biossatélite Bion-M1

O biossatélite russo Bion será lançado em abril de 2013,  disse o diretor do centro de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias espaciais Progress, Aleksandr Kirilin.

O Bion-M1 levará a bordo 45 camundongos comuns e 8 gerbos, além de 15 tritões e caracóis, de 30 a 40 microorganismos e plantas superiores. Todos os tripulantes estarão em gravidade zero por cerca de 30 dias.

O primeiro biossatélite Bion foi lançado em 1973, e o último, em 1996.

Os biossatélites russos da série Bion foram projetados para a realização de experiências na área de biologia espacial em gravidade zero. Após a missão, os organismos vivos (bactérias, cultura de tecidos, plantas inferiores e superiores, insetos e outros) retornam à Terra em uma cápsula.

Construção de rede de comunicação via satélite

No primeiro trimestre de 2013, a Rússia irá lançar três satélites para completar uma constelação de satélites de órbita baixa do sistema de comunicação pessoal via satélite Gonets (Mensageiro).

"Com o lançamento, o número de veículos espaciais que compõem a constelação chegará a oito. Assim, o segmento orbital do sistema estará completamente pronto", disse o diretor-geral da companhia aberta Sistema via Satélite, Dmítri Bakanov.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.