Cientistas de Tomsk querem desenvolver abelhas resistentes ao frio siberiano

Foto: wikimedia.org

Foto: wikimedia.org

Autores do projeto esperam que suas abelhas ajudem a recuperar a apicultura na região –segundo cientistas, o local é ideal a produção de mel.

A pequena empresa de inovação ApiMaster, criada na Universidade de Tomsk, na Sibéria, planeja desenvolver uma nova espécie de abelha, adaptada ao frio siberiano.

A informação é de uma fonte da Universidade entrevistada pela agência RIA Nóvosti.

Os autores do projeto esperam que suas abelhas ajudem a recuperar a apicultura na região ­–segundo cientistas, o local é ideal a produção de mel.

O diretor do centro de pesquisa Apis e um dos fundadores da empresa, Iúri Pogorelov, disse à RIA Nóvosti que a Rússia necessita de colônias saudáveis de abelhas produtores de mel distribuídas por todo o país.

"Várias espécies de abelha são conhecidas: comum, europeia, italiana, caucasiana etc. Em nossa região, só temos abelhas mutantes trazidas de todos os cantos do país e contaminadas com diversas doenças", disse Pogorelov.

Segundo ele, é importante que as novas abelhas sejam menos agressivas e mais adaptadas às condições da Sibéria.

"É importante entender que o homem não domesticou as abelhas, ele se adaptou a elas e não criou nenhuma espécie nova", disse o especialista.

De acordo com Pogorelov, os cientistas irão estudar cuidadosamente diversas espécies de abelhas –primeiramente, a abelha comum, dada como mais adaptada ao longo inverno siberiano.

"Vamos observá-las para saber como se comportam e como agem no inverno. Já na colmeia, vamos ver qual das colônias é a mais produtiva, qual é a que produz pequenos enxames. O  material para a análise e o trabalho seletivo será coletado nas colônias com as melhores características", disse o especialista.

Histórico

Já em 1903, a Universidade de Tomsk tinha suas colmeias. Atualmente, possui dois conjuntos de colmeias.

O primeiro, com 70 colônias, é semi-industrial e se encontra na aldeia de Liazgino, nos subúrbios de Tomsk. O segundo, experimental, fica no Jardim Botânico da universidade.

A Universidade de Tomsk foi fundada em 1878, por meio de um decreto do imperador Aleksandr 2º, para ser o primeiro estabelecimento de ensino superior na Sibéria.

Em 1998, a universidade foi incluída na lista dos bens mais valiosos do patrimônio cultural dos povos da Rússia. Em abril de 2010, recebeu a o status de universidade de pesquisa nacional.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.