“Valenki” aquece mercado russo

Foto: flickr / Jax60

Foto: flickr / Jax60

Novas versões da tradicional bota russa atraem clientes diversificados e apontam para expansão internacional.

Alguns anos atrás, a jornalista russa Natasha Nemirova orgulhosamente postou em seu blog algumas fotos de seu mais recente achado: um par de valenki brancas com flores azuis bordadas.

Na época, a decisão de escolher a tradicional bota de feltro russa para seu look de inverno colocou Nemirova entre a minoria dos vanguardistas moscovitas. Em todos os cantos da Rússia, as pessoas usavam apenas as australianas Uggs.

“Não quis comprar Uggs por duas razões”, explicou Nemirova na ocasião. “Primeiro, não é fácil encontrar Uggs verdadeiras. Nossas lojas de sapatos estão cheias de cópias. Além disso, todo mundo está usando Uggs.”

Embora os russos usem valenki há séculos, elas perderam muito do seu apelo entre os cidadãos urbanos da Rússia em meados do século 20. A versão tradicional era feita com lã de ovelha e não possuía uma sola resistente. Era geralmente preta, cinza ou branca, e, para protegê-la da lama era preciso usar junto com galochas – um visual particularmente nada atraente.

Com o surgimento de novas opções de calçados, a valenki acabou sendo substituída por botas mais leves e à prova d‘água.

Foi então que as Uggs entraram no mercado russo e rapidamente ficaram conhecidas como  as “valenki australianas”, devido à sua forte semelhança com o calçado tradicional russo. E, de repente, os designers de bota de feltro perceberam que podiam voltar às páginas de revistas de moda.

“A febre começou há três ou quatro anos”, conta Lev Lárin, proprietário de uma loja virtual chamada Uggi-Valenki. “Hoje em dia, a valenki ganhou uma nova onda de popularidade. Antes consideradas um tipo de calçado sem estilo, essas botas foram reinventadas e se tornaram elegantes. E, mais importante ainda, possuem solas resistentes agora.”

As novas versões de valenki são produzidas em várias cores e bordadas com desenhos e estampas. Não só mantêm os pés dos russos quentes no inverno, mas são peças facilmente customizáveis.

“Elas são populares entre os jovens e idosos de todas as classes sociais. Há vários tipos: de cano alto e baixo, para todos os tipos de pés e gostos”, comenta Larin. Algumas delas são estampadas com flores ou flocos de neve para atrair um público mais jovem, embora as tradicionais em preto ou branco também continuem sendo produzidas a todo vapor.

Concorrência acirrada


Denis Detkóvski, chefe do departamento de vendas da Elche, alega que sua empresa foi a primeira a produzir a “nova valenki” – ou “valenki urbana”.

“Nossa companhia começou a fabricá-las há três anos. Naquela época não havia nada como a valenki de hoje no mercado. Nossos estilistas criaram novos modelos e repaginaram o visual das botas. Começamos exibindo os modelos em várias feiras e as pessoas foram se interessando”, afirma Detkovski.

Ele ressalta que as novas versões são relativamente baratas e muito leves. “Elas estão chegando para tomar o lugar das Uggs!”, completa o funcionário da Elche.

A concorrência entre e as Uggs e valenki tem chamado a atenção de muitas pessoas na Rússia. Há várias comunidades em redes sociais e blogs dedicados à polêmica sobre qual marca é mais “hype”.

Larin, da loja virtual Uggi-Valenki, até criou um contador em seu site para comparar as vendas de ambas as marcas. “A competição é bem acirrada”, afirma.

Mercado internacional

A família de Tatiana Efimova produz valenki há 15 anos. “Sinto que elas estão cada vez mais populares. As pessoas não têm mais medo da palavra ‘valenki’”, comenta.

Apesar de seguirem seus predecessores e produzirem as botas sem solado resistente, esses fabricantes de longa data da República da Tchuvachia, na Rússia central, também sucumbiram à nova tendência de enfeitar as valenki com bordados e botões.

“Certo dia, as costureiras começaram a comprar valenki de nós. Primeiro observei o trabalho delas, e então a ter minhas próprias ideias e comecei a bordar eu mesma. Hoje em dia, empregamos várias costureiras”, diz Efimova.

Além disso, as vendas foram impulsionadas com a versão de silicone transparente, que parecem muito mais atraentes do que as tradicionais em preto.

Efimova ressalta ainda que as valenki também estão se tornando populares fora da Rússia. “Temos alguns clientes no exterior, como EUA, França, Romênia e em países da ex-União Soviética.”

No ano passado, a empresa familiar foi contatada por uma companhia de atacado norte-americana, sugerindo que começassem a produzir para o mercado dos EUA. “Mas isso estava fora das nossas possibilidades e tivemos que recusar a proposta”, explica Efimova.

Ainda assim, o que não falta é esperança de que um dia as valenki cheguem a competir com as Uggs no mercado internacional. Pelo menos, essa é a ideia de Detkovski, cuja loja Elche “tem planos” de seguir para o mercado externo.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.