Ministério de Recursos Naturais da Rússia quer obter modelo climático global

Foto: Alamy/Legion Media

Foto: Alamy/Legion Media

Matriz a ser criada levará em conta um número sem precedentes de fatores climáticos para cada região e o seu impacto causado em todas as esferas da vida, desde a produtividade das terras até o uso de ar-condicionado durante o verão.

O Ministério de Recursos Naturais da Rússia solicitou o desenvolvimento de uma matriz climática global, que levará em conta um número sem precedentes de fatores climáticos para cada região e o seu impacto causado em todas as esferas da vida, desde a produtividade das terras até o uso de ar-condicionado durante o verão.

Com a utilização da matriz, o órgão pretende calcular os efeitos do aquecimento global e de eventos meteorológicos extremos e, assim, determinar a influência do clima sobre o número de mortes e a economia de diferentes regiões.

Um interlocutor da agência de notícias Izvéstiano ministério diz que a necessidade de se decifrar o clima está ligada inclusive ao aumento da imprevisibilidade dos fenômenos naturais.

“Na verdade, teremos os valores dos limites das condições de segurança em caso de mudança climática repentina. O assunto, é claro, não se resume apenas ao aquecimento global e não nesta medida, mas sim na capacidade de otimizar a economia, no custo de prevenir catástrofes fundamentadas cientificamente”, explicou o funcionário.

“Será possível calcular com precisão o volume de recursos necessários que deve ser gasto para uma região, por exemplo, para combater ervas daninhas. A matriz abordará praticamente tudo: taxa de mortalidade, secas, incêndios, violações do equilíbrio ecológico.”

Os pesquisadores vão analisar os principais parâmetros climáticos para todo o país entre os últimos 10 a 20 anos: temperatura, pressão atmosférica, velocidade do vento, umidade relativa do ar e precipitações.

Em seguida, será necessário avaliar as consequências de todas as situações de emergência significativas de caráter natural e entender como exatamente o clima afeta os objetos naturais (as florestas, por exemplo), a saúde pública, a infraestrutura (edifícios, estradas, dutos etc), sistemas de energia e terras destinadas para a agricultura.

Uma parte fundamental do trabalho é construir a matriz climática com base na análise efetuada. Esta matriz terá a forma de alguns modelos relacionados entre si de vulnerabilidade de diversos objetos frente às alterações climáticas.

Assim, será possível, por exemplo, calcular como aumenta o número de mortes de diferentes grupos sociais em decorrência da seca. Ou entender como o clima afeta a propagação de doenças infecciosas e parasitárias e quanto aumenta o custo da eletricidade para o uso ar-condicionado no verão em um determinado território.

“Este é um estudo climático global, parece uma tarefa impossível. Há muitos fatores a considerar que são difíceis de se relacionar uns com os outros. Claro, é possível construir alguns modelos e calcular teoricamente a influência do clima sobre alguns indicadores. Porém, a introdução de tantos parâmetros não é realista”, critica Olga Shmelyova, funcionária do Instituto de Ecologia e EvoluçãoSevertsov.

No entanto, o Ministério de Recursos Naturais espera receber uma matriz operante, que, na prática, será utilizada por vários departamentos, desde o Ministério Federal do Desenvolvimento Econômico aos ministérios regionais de saúde.

De acordo com as palavras do interlocutor da agência de notícias Izvéstia no Ministério de Recursos Naturais, os cientistas já possuem as bases teóricas para a construção da matriz.

Agora, são necessários principalmente programadores. O executor terá em torno de 10 meses para concluir o trabalho e poderá ganhar 4,5 milhões de rublos.

 

Para saber mais, acesse: http://izvestia.ru/news/541073#ixzz2EpkzNqDo

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.