Feira Mundial de Belas Artes reabre as portas em Moscou

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Evento volta à ativa e apresenta obras de pintura, escultura e joias provenientes de galerias e casas de leilões russas e europeias.

Após um hiato de três anos, a Feira Mundial de Belas Artes volta à ativa em Moscou e apresenta obras de pintura, escultura e joias provenientes de galerias e casas de leilões russas e europeias.

Como já é tradição, os expositores estrangeiros são mais numerosos do que os russos –a proporção é de 70% para 30%.

A feira conta com a presença de galerias internacionalmente conhecidas, como as francesas Chadelaud e Epoca, a japonesa Tamenaga Galeria e a austríaca Rudolf Galeria Budja.

A Galeria Steiniz apresenta em seu stand uma mesa criada pelo artesão parisiense Pierre Philippe Thomire no final do século 19. Já o stand da galeria De Jonckheere tem como maior atração a obra de Hendrick Avercamp "Paisagem de inverno com patinadores".

A monegasca Maison d'Art Monte Carlo apresenta a obra de Bernardo Strozzi "Jardineira".

O stand da Casa de Leilões Christie's é especialmente grande e abriga obras a serem colocadas em leilão.

Depois de passar por Moscou, a exposição vai a Nova York para o leilão Renascença, que acontecerá em 30 de janeiro de 2013 dentro da semana dos mestres antigos.

Entre as obras primas estão a Virgem com o Menino Jesus e São João Batista, de Sandro Botticelli, da coleção de Rockefeller, bem como pinturas de grandes mestres do Renascimento italiano, entre os quais Fra Bartolomeo, Scipione Pulsone, Bartolomeo Veneto e Giovanni Paolo Panini.

Segundo estimativas, o valor total das obras apresentadas em Moscou é de cerca de US$ 30 milhões.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.