Rússia e Brasil podem incrementar fluxo comercial, diz diretor-geral da Companhia Unida de Grãos

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Sergêi Poliakov estimou o potencial das exportações de trigo russo para o Brasil em dois a três milhões de toneladas e disse haver também a possibilidade de aumentar as vendas de fertilizantes para o país.

Rússia e Brasil têm capacidade de criar um fluxo comercial adicional de cinco milhões de toneladas. Essa é opinião do diretor-geral da Companhia Unida de Grãos, Sergêi Poliakov, que participou da 2ª edição do Fórum Empresarial "Brasil-Rússia: fortalecimento da parceria estratégica", realizada nesta sexta-feira (14).

As informações são da agência Rosbalt.

"Vemos que o comércio russo-brasileiro tem um grande potencial subutilizado", disse o executivo.

Poliakov estimou o potencial das exportações de trigo russo para o Brasil em dois a três milhões de toneladas e disse haver também a possibilidade de aumentar as vendas de fertilizantes para o país.

Em contrapartida, a Rússia poderia aumentar as importações de soja brasileira, disse Poliakov. Ele também considera necessário criar uma rota de transporte entre os dois países para que as embarcações circulem carregadas em ambos os sentidos.

"Isso permitiria criar um fluxo comercial adicional de cinco milhões de toneladas", disse o especialista.

O executivo lembrou, no entanto, que alguns produtos russos sofrem restrições de natureza não comercial no Brasil, citando como exemplo um imposto de importação de 10% aplicado dentro do Mercosul.

Poliakov acredita que, se as restrições forem levantadas, o Brasil poderá receber investimentos adicionais na infraestrutura portuária e nas infraestruturas associadas, inclusive nos terminais de exportação.

Publicado originalmente pela agência Rosbalt

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.