Reunião da União Internacional de Telecomunicações preocupa Google

Foto: TASS

Foto: TASS

Em uma reunião a portas fechadas, os governos de vários países devem examinar as propostas de aumento da censura na internet e podem conferir à UIT poderes para administrar a rede global, segundo informou um comunicado divulgado recentemente pelo Google. Segundo a representante do Google na Rússia, Alla Zabróvskaia, mais de 100 empresas de 50 países se dizem preocupadas com a reunião.

Em dezembro, a UIT (União Internacional de Telecomunicações), órgão da ONU (Organização das Nações Unidas) para o setor, poderá alterar o regulamento de telecomunicações internacionais durante a Conferência Internacional de Telecomunicações, que será realizada em Dubai.

Em uma reunião a portas fechadas, os governos de vários países devem  examinar as propostas de aumento da censura na internet e podem conferir à UIT poderes para administrar a rede global, segundo informou um comunicado divulgado recentemente pelo Google. De acordo com a representante do Google na Rússia, Alla Zabróvskaia, mais de 100 empresas de 50 países se dizem preocupadas com a reunião.

A proposta russa, divulgada pelo portal de internet Wcitleaks, visa conferir a todos os países participantes da UIT poderes para participar do gerenciamento da internet e regular seu segmento nacional da web.

 O comunicado não diz nada sobre eventuais alterações no regulamento porque as propostas encaminhadas a Dubai são mantidas em segredo e só podem ser acessadas mediante uma senha no site da UIT. Seja como for, os materiais divulgados pela UIT confirmam que as modificações no regulamento serão discutidas.

Além disso, cada país poderá regular empresas prestadoras de serviço de acesso à internet e o tráfego e a distribuição de nomes de domínio em seu território nacional.

A bem dizer, a nova cúpula do Ministério das Comunicações russo designada em maio de 2012 não partilha dessa posição, afirma um funcionário de uma empresa de internet russa. Mesmo assim, a posição oficial russa será elaborada com a participação de várias entidades, entre as quais o Serviço Federal de Segurança (FSB, na sigla em russo), e do governo, diz uma autoridade competente. Uma fonte do Ministério das Comunicações se recusou a comentar o assunto.

A UIT

Uma das principais funções da UIT é regular a ligação de redes de telecomunicações e estabelecer padrões de equipamentos e regras de interação entre os atores do mercado. Alguns países, entre os quais a Rússia e a China, porém, propuseram estender as competências da UIT à internet, diz um funcionário de uma grande empresa do setor.

Segundo ele, os governos desses países sugerem estender à rede os princípios da regulação das redes telefônicas: estabelecer na web regras de atribuição de endereços e números, colocá-los sob a administração das autoridades locais e estabelecer um rígido controle sobre a circulação de informação em cada país.

Na realidade, isso significa que a internet passa a ser regulada a nível nacional, diz uma fonte entrevistada pelo Vedomosti.

“É possível que tal regulamento venha a ser aprovado. À medida que cresce o número de usuários e de instalações de infraestrutura conectadas à web, aumenta também a necessidade de regular a internet a nível nacional”, diz o deputado federal pelo partido governista Rússia Unida Robert Chlegel, membro da Comissão para os Meios de Comunicação Social da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo).

As propostas de mudar esse esquema deveriam ter sido examinadas em uma conferência da ICANN, empresa que gere a Internet agora, em 2009, mas nada aconteceu. A conferência de Dubai também não tomará nenhuma decisão a esse respeito, acredita o deputado. 

“É impossível aplicar à internet os princípios vigentes na telefonia. As redes da internet são configuradas de um modo diferente”, diz um alto gerente de uma empresa de internet.

A web possui vários níveis de informação: motores de busca, redes sociais etc. Por isso, a delimitação das redes entre os países pode não só resultar em censura, mas também ter consequências econômicas negativas como, por exemplo, a alteração do esquema de cálculo do tráfego, acredita o especialista.

Para ler a versão completa do artigo em russo, acesse: http://www.vedomosti.ru/tech/news/6365771/internet_pod_kontrolem ixzz2CwXTlV8x

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.