Zenit e Dínamo Moscou são multados por incidente em partida do campeonato russo

Foto: Kommersant

Foto: Kommersant

O comitê disciplinar da UFR (União de Futebol da Rússia) reconheceu o Zenit São Petersburgo, time do brasileiro Hulk, culpado pela suspensão da partida com o Dínamo Moscou por atitudes de seus torcedores; clube foi punido com uma derrota técnica, dois jogos com portas fechadas e uma multa de 1,1 milhão de rublos (cerca de US$ 33 mil). O Dínamo Moscou também terá uma partida com arquibancadas vazias e pagará uma multa.

Nesta quinta-feira (22), o comitê disciplinar da UFR (União de Futebol da Rússia) determinou punições para o Dínamo Moscou e o Zenit São Petersburgo pelo incidente com um foguete lançado em campo durante uma partida da 16ª rodada do campeonato russo no último dia 17, na cidade de Khimki, nos subúrbios de Moscou.

O foguete explodiu perto do goleiro do Dínamo, Anton Chunin, atingindo o jogador no olho. Como resultado, o árbitro Aleksêi Nikolaev decidiu suspender a partida, realizada no campo do Dínamo.

O Dínamo foi multado em 500 mil rublos (cerca de US$ 16 mil) por não ter garantido a ordem pública durante a partida e em 80 mil rublos (cerca de US$ 2,5 mil) por gritos ofensivos à equipe adversária cantados por sua torcida e condenado a um jogo a portas fechadas.

Já o Zenit São Petersburgo, reconhecido como principal culpado pela suspensão do jogo, foi punido com uma derrota técnica, dois jogos sem a presença de torcida, uma multa de 500 mil rublos (cerca de US$ 16 mil) pelo uso de foguetes por seus torcedores e outra de 100 mil rublos (cerca de US$ 3.000) por gritos ofensivos à equipe adversária por parte de seus torcedores. O treinador do time, Luciano Spalletti, foi multado em 30 mil rublos (cerca de US$ 1.000) por ter ultrapassado a área técnica. Outros 500 mil rublos serão pagos pelo Zenit pelo fato de derrota técnica.

"Essa decisão está de acordo com o regulamento e com a prática internacional. O Dínamo não conseguiu  garantir a segurança no estádio, o que resultou no ferimento de um jogador e suspensão do jogo", disse o presidente interino do comitê disciplinar da UFR, Artur Grogriants.

"O time visitante arca com a responsabilidade pela torcida que ocupa os lugares nas arquibancadas reservadas para ele", disse Grigoriants, esclarecendo porque a derrota técnica foi atribuída ao Zenit. A disputa entre os dois clubes não será retomada, nem uma nova partida será realizada.

"Essa questão não foi examinada porque, segundo o regulamento, os jogos suspensos por intervenção de terceiros não são retomados, nem repetidos", esclareceu o responsável. 

Discussão

O incidente provocou uma acalorada discussão entre os clubes. O Dínamo insistia em atribuir uma derrota técnica ao Zenit, dizendo que o foguete fora lançado pela torcida visitante. O Zenit, por seu turno, acusou os anfitriões de péssima organização da partida. O diretor geral do clube de São Petersburgo, Maksim Mitrofanov, até ameaçou retirar o Zenit do campeonato caso lhe fosse atribuída uma derrota técnica.

A polêmica envolveu várias outras pessoas ligadas ao futebol. Após reunião extraordinária, a LRFP (Liga Russa de Futebol Profissional) resolveu pedir ao comitê executivo da UFR para fazer emendas urgentes ao regulamento vigente. O presidente do CSKA Moscou, Evgeni Griner, disse que teria sido mais correto se os clubes tivessem retomado a partida e o torcedor que jogara o foguete tivesse sido proibido de assistir aos jogos em estádios e não processado judicialmente. O proprietário do clube Spartak Moscou, Leonid Fedun, considera não ter havido  necessidade de atribuir uma derrota ao Zenit e que os torcedores infratores devem ser multados.

O primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, afirmou que o torcedor que jogou o foguete deve responder a processo penal.

"Os autores de tais crimes devem ser colocados na cadeia e não devem ficar impunes ", disse Medvedev a respeito do incidente.

O artigo foi originalmente publicado em Gazeta.ru 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.