Conheça negócios que estão mudando a cara de Moscou

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Padarias artesanais e hostels, há pouco raros ou inexistentes na capital russa, ganham espaço; outro exemplo de um negócio bem sucedido que deixou uma marca positiva no cenário da cidade é no ramo de transporte: aplicativos para smartphone estão ajudando moscovitas a achar um táxi.

Há dez anos, Moscou era muito menos atrativa para se viver, com um ambiente  mais agressivo do que amigável. Com o tempo, os moradores melhoraram sua situação financeira e tiveram a oportunidade de viajar e conhecer a vida em outros países. Depois de voltar, quiseram criar na cidade um ambiente parecido. 

Como resultado, Moscou passou a registrar o surgimento de ondas de negócios que permitiram melhorar o ambiente urbano. 

Uma das primeiros foi o boom de pequenas padarias com fabricação própria, algo muito raro de se encontrar na cidade há seis anos. O negócio de panificação era inteiramente baseado na produção de pão em escala industrial, para manter baixos os preços. Parecia loucura tentar entrar no mercado com um produto custando quatro vezes mais do que o pão branco comum. Entretanto, muitos moscovitas queriam consumir baguetes francesas frescas e estavam dispostos a pagar pela qualidade. Logo, este mercado cresceu rapidamente, contando com a participação tanto de redes varejistas quanto de pequenas empresas privadas.

Outro exemplo de um negócio bem sucedido que deixou uma marca positiva no cenário da cidade se deu no ramo de transporte. O mercado de táxi em Moscou foi sempre uma dor de cabeça tanto para os moradores como para o governo metropolitano. Os táxis oficiais são poucos e, como consequência, as tarifas são muito altas. Além disso, para chamar um táxi oficial, é preciso saber o número do telefone de uma central, que nem sempre está à mão na hora de que se precisa do serviço.

Com o crescimento drástico do número de usuários de smartphones nos últimos dois anos e o surgimento de aplicativos que ajudam a chamar um táxi, a situação mudou. Um dos pioneiros nesse segmento no país foi um dos maiores buscadores da Rússia, o Yandex. Para usar o serviço, o usuário deve preencher um cadastro com seus dados e indicar o endereço de origem e o destino desejado, assim como suas preferências em relação ao tipo de veículo, e selecionar uma opção adequada em uma lista de centrais de táxi.

Como a maior competição entre as centrais pelos usuários dos aplicativos, as tarifas se tornaram mais acessíveis, especialmente para viagens de médio e longo alcance. Outro benefício que deve ser assinalado: o usuário não precisa mais ficar grudado ao telefone tentando chamar um táxi.

Turismo

Outra novidade está ligada ao turismo. Historicamente, Moscou possui poucos hotéis dentro dos padrões europeus. Logo, os preços são altos, mesmo na baixa temporada. Altas diárias em bons hotéis e a qualidade baixa dos hotéis baratos (reformados, talvez, pela última vez na época estalinista) é fator de constrangimento para o desenvolvimento do turismo na cidade. Mas a situação está mudando.

Há dois anos, Moscou viu surgirem seu primeiros hostels. Espalhado por todo o mundo, esse esquema de hospedagem era inédito na capital russa. Há cinco anos, ninguém encarava o negócio como algo sério.

Agora, Moscou possuiu cerca de 80 hostels, número que vem aumentando a cada mês. Estou seguro de que os hostels irão modificar consideravelmente a situação em termos de turismo em Moscou. Se deram certo, mini-hotéis, com 10 a 15 quartos, muito populares, por exemplo, em São Petersburgo, também podem prosperar em Moscou.

Leonid Frolov  é cofundador da web startup Venture Street, com sede em Moscou

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.