Chanceler russo convoca Quarteto para Oriente Médio

Ministro Lavrov durante reunião com sua homóloga norte-americana Clinton. Foto: AP

Ministro Lavrov durante reunião com sua homóloga norte-americana Clinton. Foto: AP

Rússia pretende analisar situação regional com autoridades internacionais após o fim da crise entre Israel e Palestina.

O ministro do Negócios Estrangeiros russo, Serguêi Lavrov, declarou nesta terça-feira (20) que a Rússia vai propor aos Estados Unidos convocar uma reunião ministerial do Quarteto para o Oriente Médio (Rússia, EUA, União Europeia e ONU) com a assistência da Liga Árabe, assim que a atual crise em torno de Gaza estiver resolvida.

“Quando a crise de Gaza tiver solucionada, voltaremos a falar sobre esse tema”, disse Lavrov após uma reunião com sua homóloga norte-americana, Hillary Clinton,  realizada nesta terça-feira na capital do Camboja, Nom Pen.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros lembrou que, na noite anterior, Moscou havia apresentado ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução referente a Gaza, que exige um cessar-fogo completo e inabalável, assim como pede a Palestina e Israel para negociar o conjunto de questões que permeiam suas relações bilaterais.

De acordo com a proposta russa, o mais alto órgão de segurança internacional deve expressar sua “preocupação profunda diante da escalada da violência e um dramático agravamento da situação dentro e em torno de Gaza, em particular sobre as vítimas civis e a piora da situação humanitária”, assim como pedir garantias de segurança para os cidadãos palestinos e israelenses.

Por outro lado, o texto apresentado pela Rússia não condena diretamente nenhuma das partes envolvidas no conflito, que se agravou no último dia 14, depois que Israel iniciou uma operação militar na Faixa de Gaza para impedir disparos de foguetes palestinos contra seu território.

O chanceler russo também não quis fazer previsões sobre a solução da crise em Gaza. Moscou e Washington apoiam os esforços do Egito e outros países para resolver o conflito, e a Rússia também mantém contato “tanto com representantes de Israel, como do Hamas”, disse ele.

Na véspera de sua viagem ao Camboja, o ministro Lavrov já havia adiantado que, em sua reunião com Clinton, abordaria sobretudo a necessidade de convocar o Quarteto para o Oriente Médio e convidar representantes Liga Árabe para analisar a situação na região.

A operação militar israelense, chamada Coluna de Defesa, está limitada atualmente a bombardeios sobre alvos específicos no enclave palestino. No entanto, o governo de Israel está preparado também para fazer uma intervenção terrestre, caso fracassem as as negociações indiretas que ambas as partes mantém no Cairo, com mediação do Egito.

Depois de sete dias de hostilidade, o número de mortos subiu para, pelo menos, 108 pessoas em Gaza e três em Israel. Além disso, há cerca de mil feridos na Faixa de Gaza e dezenas do outro lado da fronteira.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.