“Já esperava recusa de extradição”, diz Bout

Víktor Bout Foto: Reuters / Voctock-Photo

Víktor Bout Foto: Reuters / Voctock-Photo

Traficante internacional de armas condenado nos EUA, Víktor Bout disse que já previa a decisão do Departamento de Justiça norte-americano na semana passada com a rejeição do pedido de Moscou para repatriá-lo à Rússia.

O Departamento de Justiça dos EUA se recusou a transferir Víktor Bout para a Rússia para servir sua pena de prisão de 25 anos em casa, citando a “gravidade do crime” pelo qual foi acusado.

“Eu não estou surpreso com essa decisão. Eles me proibiram de voltar para casa, mas não podem me impedir de lutar pela minha libertação e de acreditar na justiça. O ‘caso Bout’ é, evidentemente, uma mentira”, disse Bout citado por seu advogado.

O Ministério do Exterior russo disse que estava “profundamente desapontado” com a decisão de recusar a extradição e disse que continuará a fazer todo o possível para obter o direito legal de transferir Bout para casa.

A equipe de defesa de Bout começou a trabalhar em um recurso. Moscou tem expectativa de que o tribunal norte-americano conceda uma decisão “imparcial” no caso Bout.

Ex-oficial militar soviético, Bout foi condenado, em novembro de 2011, de conspiração para matar cidadãos dos EUA, incluindo oficiais e funcionários militares. Ele teria fornecido mísseis antiaéreos portáteis e vendido milhões de dólares em armas aos rebeldes colombianos da Farc.

Apesar de ter sido condenado em abril de 2012, Bout continuando negando as acusações contra ele.

“Eu não acredito nessa ‘diplomacia tranquila’ entre Washington e Moscou, que irá ajudar na minha libertação, eu só conto com o apoio ativo e eficiente dos meus compatriotas, representantes de órgãos estaduais e russos que compreenderão que fui pego e enviado para atrás das grades apenas por razões políticas”, disse Bout ao seu advogado.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.