Fotos e cartas do último imperador russo serão leioladas em Genebra

Imperador Nicolau II e a Imperatriz Aleksandra Fedorovna em Tsárskoie Selo, 1917. Foto: Arquivo estatal da Federação Russa

Imperador Nicolau II e a Imperatriz Aleksandra Fedorovna em Tsárskoie Selo, 1917. Foto: Arquivo estatal da Federação Russa

Mais de três mil lotes estimados em três milhões de francos suíços serão postos à venda pela empresa suíça Hotel des Ventes entre 10 e 13 de dezembro, em Genebra. O anúncio foi feito por uma fonte do hotel em entrevista à agência RIA Nóvosti.

Fotos e cartas desconhecidas da família do último imperador russo, Nicolau II, serão leiloadas pela empresa suíça Hotel des Ventes entre 10 e 13 de dezembro, em Genebra. O anúncio foi feito por uma fonte do hotel em entrevista à agência RIA Nóvosti.

Mais de três mil lotes estimados em três milhões de francos suíços serão postos à venda. A maioria deles tem  ligação com famílias reais da Europa e da Rússia. 

No primeiro dia, vão a leilão fotos raras da família imperial e cartas desconhecidas escritas por Nicolau II durante a Primeira Guerra Mundial e direcionadas ao príncipe Nicolau, que, até 1915, foi comandante supremo do Exército Imperial. Essa correspondência constitui um importante espólio histórico que relata não só a participação da Rússia na Primeira Guerra, mas também a atitude do imperador em relação ao conflito e sua preocupação com o destino de seu exército.

Também serão posta à venda cartas de amor do imperador Aleksandr II para sua amante Ekaterina Dolgorukova. As cerca de 46 páginas de cartas têm um preço estimado entre 5 e 8 mil francos suíços.

O leilão conta ainda com cerca de 100 lotes de fotografias representando o príncipe herdeiro Aleksêi quando pequeno, o príncipe Mikhail praticando exercícios no trapézio em um ginásio do palácio imperial ou jogando croquet com sua irmã Olga, assim como as princesas Olga e Anastasia quando pequenas. Aquarelas feitas pela princesa Olga também podem despertar interesse em colecionadores.

A maioria das peças são das coleções do professor suíço Ferdinand Thormeyer ­– que foi preceptor da família do imperador Aleksandr III–, do  duque Feliks Iusupov e de Serge Lifar.

Outros lotes

Dentre os outros lotes, merecem atenção livros da Rússia Imperial, obras de arte da época, talheres de prata fabricados por Faberge, móveis com acabamento de malaquita, objetos da coleção particular da rainha Vitória Eugênia, neta da rainha Vitória da Grã-Bretanha e avó do atual rei da Espanha, Juan Carlos.

Ainda ganham destaque um leque com o monograma real gravado em diamantes, rubis e esmeraldas, estimado entre três e cinco mil  francos suíços, a Cruz da Ordem Imperial de Santo Aleksandr Nevski em ouro e esmalte (estimada entre 10 e 15 mil francos suíços) e outros.

Cabe destacar ainda joias e relógios, entre os quais alguns exemplares pertencentes ao rei búlgaro Boris III, uma rara coleção de modelos ferroviários e achados arqueológicos datados da época pré-colombiana.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.