Turistas russos estão entre os cinco que mais gastam no exterior, aponta pesquisa

Foto: LegionMedia

Foto: LegionMedia

No que se refere aos gastos de turistas estrangeiros na Rússia, o aumento foi de 16% em comparação com o ano passado, quando mais de 2 milhões de pessoas visitaram o país. Este número crescerá a cada ano, consideram os especialistas.

Os russos têm gastado mais dinheiro a cada ano em viagens ao exterior. Neste ano, o país ficou entre os cinco primeiros em aumento de gastos dos viajantes fora do país, segundo dados da OMT (Organização Mundial de Turismo), órgão da ONU.

Os mais gastadores são os turistas de China, Polônia, Malásia e Argentina. Em média, os turistas destes países gastam mais de mil euros por viagem.

Segundo a pesquisa, os americanos, canadenses, alemães e australianos  são os gastam menos dinheiro em viagens para fora.

No que se refere aos gastos de turistas estrangeiros na Rússia, o aumento foi de 16% em comparação com o ano passado, quando mais de 2 milhões de pessoas visitaram o país. Este número crescerá a cada ano, consideram os especialistas.

Destinos


Entre os países que mais atraem turistas da Rússia estão Egito, Turquia e Tunísia, que simplificaram ao máximo a obtenção de vistos russos ou cancelaram a exigência. Outros países da Europa, da Ásia, da África e da América Latina também estão gradualmente abrandando as regras de entrada. O Chipre, por exemplo, revogou a cobrança consular e a Croácia recebe os russos sem vistos na alta temporada.

A política propícia de vistos desses países foi a premissa da melhora dos russos e dos chineses no ranking, aponta a secretária de imprensa da Agência Federal de Turismo Irina Shchegolkova.

A China conseguiu a revogação dos vistos para grandes grupos de turistas em muitos países.

"Os líderes [de atração de turistas] não mudam já há muitos anos. São Turquia e o Egito, que não são os países mais caros. Em seguida vêm os países europeus. Neste ano, Grécia e Espanha estão populares, apesar das crises e greves. Os espanhóis já deram o milionésimo visto a turistas russos. Naturalmente que o regime sem vistos contribui para o aumento do fluxo de turistas. Mas há pessoas que preferem a Turquia e o Egito à Europa, e o visto para elas não é problema. Devemos assinalar que o embaixador da Espanha afirmou que com tal fluxo de turistas é mais racional revogar os vistos", diz Shchegolkova.

Gastos


Os russos gastam com o descanso de dois modos básicos. O primeiro, em viagens com o sistema “tudo incluso”, pacote mais caro, mas que permite aos turistas praticamente não gastarem mais nada no país de estada. Outros preferem descansar com passeios e compras. Limitando-se ao mínimo de serviços necessários no hotel, os russos deixam somas consideráveis nas lojas, restaurantes, teatros e museus.

Não apenas os sociólogos, mas também os bancos, calculam as despesas dos viajantes. Segundo a diretora executiva da Associação de Operadores de turismo russos, Maia Lomidze, as organizações de financiamento e crédito fazem suas estatísticas das transações no exterior.

"Segundo dados do Citibank, as maiores despesas dos russos no exterior são nos EUA, mesmo o país não estando entre os 30 destinos mais populares para turistas russos. Também é curioso que os turistas deixam mais dinheiro nos países que não concedem o serviço ‘tudo incluso’. Na Espanha, por exemplo, o turista russo gasta em média €160 por dia", diz Lomidze.

Publicado originalmente no site da rádio Voz da Rússia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.