Agência fiscalizatória exclui 21 nomes de “lista negra da internet”

Foto: Getty Images/Fotobank

Foto: Getty Images/Fotobank

Os links e endereços de IP incluíam fontes de internet populares, cuja medida proibitiva desencadeou intenso debate público.

A agência russa responsável pela fiscalização nas telecomunicações, Roskomnadzor, retirou 21 entradas de sua “lista negra da internet” em três dias, segundo informações do próprio órgão divulgadas nesta quarta-feira (14).

“A relação dos sites liberados inclui [a enciclopédia humorística on-line] Lurkmore.to e [o site para downloads] rutracker.org, além de links para páginas pessoais na rede social Vkontakte”, de acordo com o comunicado da Roskomnadzor.

As entradas foram excluídas do registro uma vez que os proprietários tomaram medidas em relação às questões levantadas, disse a agência.

A biblioteca on-line russa Librusec foi removida da “lista negra” após ter deletado uma página com a tradução russa de “O livro de receitas do anarquista”, que contém instruções para fabricação de explosivos, drogas, venenos e dispositivos caseiros para grampear telefones. O livro foi proibido na Rússia em decorrência do suposto teor extremista.

A “lista negra” de domínios, páginas e URLs que apresentem conteúdo não autorizado na Rússia entrou em vigor no último dia 1°. O principal objetivo declarado do registro é limitar o acesso público à pornografia infantil, guias de suicídio e receitas de drogas.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.