Rússia poderá tomar 5% do mercado mundial de UAVs

UAV Orlan-10. Foto: wikipedia.org

UAV Orlan-10. Foto: wikipedia.org

Em feira de aeronáutica na China, fabricantes russas anunciam novos planos para produção e exportação de aviões não tripulados.

A Rússia poderá ocupar entre 3 e 5% do mercado mundial de aviões não tripulados em dez anos, declarou Serguêi Kórnev, chefe do departamento de aviação da empresa russa Rosoboronexport, nesta segunda-feira (12).

No espaço onde começou hoje o Salão Aeroespacial Internacional Airshow China 2012, em Zhuhai, Kórnev completou que já existem modelos competitivos de aviões não tripulados na Rússia, incluindo Orlan-10, Zala-421-016 e Eleron-10.

Segundo eles, esses aviões atendem a todas as exigências do mercado e até mesmo superam muitos análogos estrangeiros em termos de autonomia e altura de voo.

Durante o mesmo evento, o presidente da United Aircraft Corporation, Mikhail Pogosian, também afirmou que a fabricante russa Sukhôi vai se concentrar na criação de veículos aéreos não tripulados (UAV, na sigla em inglês) e de reconhecimento em um futuro próximo.

“Os UAVs representam uma via estratégica para o desenvolvimento da UAC [holding que abrange a maioria da indústria russa de aeronaves, inclusive a Sukhôi]”, disse ele.

No site da Sukhôi há projetos para uma série de aviões não tripulados conhecidos como Zond, otimizados para o transporte de radares de vigilância e de abertura sintética, bem como sensores eletro-ópticos.

A empresa também fechou em 2011 um contrato para desenvolver um UAV com massa de aproximadamente 20 toneladas, projeto que contará com a participação da também russa RAC MiG.

Além disso, a Tranzas, de São Petersburgo, e a Sokol, de Kazan, venceram uma licitação em outubro do ano passado para desenvolver dois sistemas UAV com massa de uma e cinco toneladas, respectivamente.

O mercado dessas aeronaves está passando por um amplo desenvolvimento, especialmente na Ásia, Europa e América Latina.

Entre 2003 e 2012, um total de 38 países compraram aviões não tripulados num valor total de US$ 3.570 milhões. De acordo com a estimativa da Forecast Internacional, o mercado mundial para esses dispositivos continuará crescendo.

Atualmente, os maiores exportadores de aviões não tripulados são Israel e os Estados Unidos, que dominam 70% das exportações mundiais. Estima-se que a médio prazo a China irá se juntar a eles nessa liderança.

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.