Governo lança programa para a indústria eletrônica

Foto: TASS

Foto: TASS

Projeto, que também contará com investimentos privados, será desenvolvido em três fases com o apoio de instituições como o parque de inovações Skólkovo, a Rosnano (corporação estatal de nanotecnologias) e o VEB (banco de comércio exterior.

O governo russo aprovou um programa federal orçado em cerca de US$ 15 bilhões para o desenvolvimento da indústria eletrônica e radioeletrônica do país até 2025.

Segundo o ministro da  Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, cerca de US$ 5 bilhões virão de recursos públicos e o restante de investimentos privados.

O programa será divido em três fases. Na primeira, de 2013 a 2015, deverá ocorrer a transição gradual da prática de apoio direto do governo a empresas para a criação de condições para o desenvolvimento da indústria.

Na segunda, de 2016 a 2020, o governo passará a ajudar as empresas no lançamento de novos projetos. Por fim, a partir de 2021, será dado apoio ao crescimento da produção.

As três etapas serão executadas em coordenação com instituições de desenvolvimento nacionais como o parque de inovações Skólkovo,  a Rosnano (corporação estatal de nanotecnologias) e  o VEB (banco de comércio exterior), disse o ministro.

A ideia do projeto é desenvolver a produção de equipamentos radioeletrônicos para a indústria automotiva, equipamentos de telecomunicações, produtos elétricos e eletrodomésticos.

"Trata-se de um setor altamente produtivo e com grande  influência sobre a competitividade dos outros setores. Equipamentos de rádio e eletrônicos são usados em todas as áreas e seu papel no futuro só irá crescer", disse Manturov.

Polos

Ainda de acordo com o ministro, serão criados polos para o desenvolvimento dessas empresas.

"O governo está examinando a hipótese de criação de mais de 20 polos com infraestrutura moderna, laboratórios de pesquisa e sistemas de formação de pessoal", disse o ministro.

"A política de redução do investimento público, aplicação de polos, participação de pequenas e médias empresas e criação de um ambiente competitivo está completamente de acordo com as normas da OMC (Organização Mundial do Comércio)",  acrescentou Manturov.

O novo projeto é uma continuação do programa federal específico de desenvolvimento da indústria radioeletrônica para o período de 2008 a 2015 que, segundo o ministro, permitiu preservar as principais empresas do setor, preparar o terreno para o desenvolvimento da microeletrônica e criar um sistema de centros de design.

Como exemplos de sucesso do programa já vigente, Manturov citou equipamentos especiais construídos de acordo com os mais altos padrões internacionais e destinados à defesa antiaérea, defesa aeroespacial e controle de armamentos estratégicos.

Segundo o ministro, também terá atenção especial o desenvolvimento da área civil da indústria radioeletrônica.

Nesse segmento, as prioridades serão dadas ao desenvolvimento de equipamento eletrônico profissional e à fabricação de componentes eletrônicos.

Avanço

Como resultado do programa, a participação das empresas nacionais deverá atingir 40% no mercado interno e triplicar no mercado internacional, estima o governo.

Ainda segundo o governo, o volume de exportação de equipamento eletrônico deverá quadruplicar e a produtividade do trabalho deverá crescer seis vezes.

Além disso, a taxa de presença de equipamento eletrônico e radioeletrônico de fabricação nacional na economia russa pode atingir 90%.

Segundo agentes do mercado ouvidos pela Gazeta Russa, a Rússia poderá ultrapassar, no futuro, Taiwan, Malásia, Coréia do Sul nesse segmento.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.