“Relações entre Turquia e Rússia ficarão tensas”

Editor-chefe da revista Russia in Global Affairs Fiódor Lukiânov. Foto: Divulgação Fiesp

Editor-chefe da revista Russia in Global Affairs Fiódor Lukiânov. Foto: Divulgação Fiesp

Editor-chefe da revista Russia in Global Affairs fala sobre desdobramentos do incidente envolvendo avião sírio interceptado.

Na semana passada, caças da Força Aérea turca obrigaram um Airbus A-320 que seguia de Moscou para Damasco a pousar para uma inspeção por suspeita de transporte de carga ilegal.

Após a vistoria no aeroporto de Ancara, a polícia turca apreendeu equipamentos de comunicação, rádios e jammers (equipamento bloqueador de sinal).

Segundo o porta-voz da diplomacia russa, Aleksandr Lukachévitch, a Rússia exigiu explicações de Ancara pela interceptação do avião sírio que colocou em perigo os 17 passageiros russos presentes aeronave.

Em entrevista à emissora de rádio Kommersant FM, o editor-chefe da revista “Russia in Global Affairs”, Fiódor Lukiânov, fez comentários a respeito da polêmica.

Kommersant FM:É verdade que realmente havia equipamento militar a bordo da aeronave síria?


Fiódor Lukiânov: Não tenho informações para afirmar nada, mas a Turquia diz que sim. A parte russa não diz nada de concreto a esse respeito, mas eu não descarto a possibilidade. No entanto, interceptar um voo comercial e obrigar a aeronave a pousar sem ter certeza de que realmente transporta algo ilegal é uma questão bastante grave.

K.FM:A Força Aérea turca tinha o direito de interceptar e inspecionar a aeronave síria?

F.L: Não. Mesmo se a Turquia tivesse a informação de que a aeronave transportava carga militar, a Síria não é alvo de sanções internacionais. Digo, sanções internacionais universalmente aprovadas e confirmadas pelo Conselho de Segurança da ONU, e não aquelas impostas unilateralmente pela União Europeia ou pelos EUA. Portanto, a Turquia não tinha direito legal de fazer isso. E a Rússia vai naturalmente chamar a atenção para esse fato.

K.FM:Como ficarão agora as relações entre a Turquia e a Síria, e entre a Turquia e a Rússia, depois do ocorrido?

F.L: Acho que, a partir de agora, as relações entre a Turquia e a Rússia ficarão mais tensas. Tudo vai depender se os dois países desejarão agravar ainda mais o conflito, mas não acho que seja o caso. A Turquia está interessada na Rússia.

Até há pouco, parecia que as grandes divergências existentes entre os dois países quanto ao problema sírio não afetariam as relações bilaterais e que os dois países conseguiram separar uma coisa da outra. Infelizmente, agora a situação mudou. A Turquia está muito envolvida no conflito interno da Síria.

O problema sírio deixou de ser regional e virou turco também, pois os territórios ao longo da fronteira turca passaram a ser controlados pelos militantes do Partido Curdo do Trabalho (PKK), e não pelo governo sírio. Para a Turquia, trata-se de uma ameaça real, porque seus piores inimigos podem criar postos avançados bem perto da fronteira.

Originalmente publicado no site do Kommersant 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.