“O vegetarianismo não tem nada de mau nem de bom”

Foto: Getty Images/Fotobank

Foto: Getty Images/Fotobank

Renomado nutricionista de Moscou acredita que ser vegetariano é uma questão de filosofia pessoal.

“Ninguém nunca morreu por ser vegetariano, embora milhões de pessoas ao redor do mundo, incluindo muitas celebridades, não comam carne”, diz Aleksêi Kovalkov, um dos nutricionistas mais requisitados de Moscou de acordo com a revista Forbes.

“O vegetarianismo não tem nada de mal nem de bom. É simplesmente uma questão de filosofia pessoal”, explica.

No entanto, segundo o especialista, autor de inúmeros livros sobre alimentação saudável e dieta, “as pessoas comem carne demais atualmente”. 

“Não precisamos de tanta proteína, a maioria dos aminoácidos se transforma em glucose”, ressalta Kovalkov.

Ele acrescenta que uma dieta exclusivamente de vegetais é uma opção válida, por se tratar de uma “questão de gosto” de cada ser humano. Além disso, ao considerar a abundância de alimentos, a proteína animal perde o seu valor único.

Ainda assim, o nutricionista evita fazer qualquer propaganda sobre dietas vegetarianas. Por outro lado, alguns cientistas acreditam que em breve a alimentação à base de vegetais será quase obrigatória para a sobrevivência da população mundial. 

A escassez de alimentos será o motivo pelo qual mundo se verá obrigado a renunciar à carne até 2050, de acordo com um relatório apresentado em agosto na Conferência Anual sobre Água, em Estocolmo. 

Os especialistas afirmam que os produtos de origem animal consomem de 5 a 10 vezes mais água do que os vegetais e, por volta da metade deste século, não haverá água suficiente para alimentar os 9 mil milhões pessoas que habitarão o planeta nessa época.

Originalmente publicado pela agência de notícias RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.