Diplomatas russos criticam pouso forçado de voo Moscou-Damasco

Foto: AP

Foto: AP

Rússia se viu envolvida em um novo um escândalo por causa do voo Moscou-Damasco mantido em solo turco. Autoridades turcas foram acusadas de comprometer a vida dos passageiros russos a bordo, segundo declaração feita por Aleksander Lukachevitch, porta-voz do Ministério de Negócios Estrangeiros, nesta quinta-feira (11).

O voo comercial operado pela Syrian Air partiu do aeroporto Vnukovo, em Moscou, nesta quarta-feira (10), mas foi interceptado por caças turcos F-16 sob suspeita de transporte de carga militar.

“As autoridades turcas, sem dar motivos e violando aa convenção consular entre os dois países, recusou-se a deixar os diplomatas [russos] a encontrar nossos compatriotas que estavam no avião”, descreve o documento oficial.

Lukachevitch declarou ainda que os diplomatas souberam da presença de 17 cidadãos russos a bordo pelas reportagens publicadas sobre o assunto.

O voo foi retomado após a inspeção aeronave e a apreensão de algumas cargas. Diversas notícias veiculadas na mídia turca afirmavam que no material confiscado havia peças de equipamentos de rádio usados para fins militares.

A emissora turca NTV informou, contudo, que as caixas apreendidas continham “peças de mísseis”.

Na tarde desta quinta-feira, o embaixador russo na Turquia foi chamado para comparecer ao Ministério das Relações Exteriores turco para abordar a questão, segundo informações da agência de notícias Reuters. Nenhum comentário da parte turca foi anunciado até o momento.

Relações perigosas

 

A Rússia tradicionalmente manteve laços fortes com o governo sírio, incluindo contratos para exportação de armas.

 

No entanto, a já tensa relação entre a Síria e a Turquia continua se agravando depois dos dois países trocarem disparos de artilharia em sua fronteira compartilhada no início de outubro.

No conflito com a Síria, a Turquia recebeu apoio da Otan, da qual é membro, mas o episódio desta quarta-feira não deve gerar novos conflitos, segundo Fiódor Lukianov, analista e editor da revista Russia in Global Affairs.

“Eles entendem que Ancara está desenrolando seu próprio jogo. Mas o Ocidente não quer se envolver em uma nova guerra para apoiar a Turquia”, disse o especialista ao site russo Comentário Verdadeiro. “Eles estão bajulando a Turquia, mas paralelamente tentando convencê-la a evitar conflitos militares”, arrematou Lukianov.

Originalmente publicado pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.