Banco abandona projeto de ‘cartão anticorrupção’

Foto: navalnycard.ru

Foto: navalnycard.ru

Parcela de todas as transações seria destinada ao Fundo Anticorrupção do ativista da oposição Aleksêi Naválni. Especula-se que instituição financeira desistiu da ideia por receio de “complicações políticas”.

Os planos do ativista Aleksêi Naválni de lançar um cartão de débito que doaria uma porcentagem de todas as transações para seu trabalho de combate à corrupção foram congelados após o banco por trás do projeto desistir da ideia, informou uma fonte ligada ao líder da oposição.

“O banco decidiu não dar sequência ao projeto”, afirma Vladímir Achurkov, executivo-chefe do Fundo Anticorrupção de Naválni, sem especificar o nome da instituição financeira envolvida no caso. “Entendo que eles estavam com receio dos complicações políticas.”

O lançamento do cartão co-branded, concebido como mais um instrumento para os manifestantes anti-Pútin, estava marcado para o início deste ano, mas foi adiado indefinidamente. 


“Conversamos com outros bancos, mas não há nenhum plano concreto”, disse Achurkov nesta sexta-feira (5).

O projeto não foi originalmente idealizado por Naválni, e sim proposto pelo banco que agora abandonou a ideia, acrescentou Achurkov. O Fundo Anticorrupção fez comentários sobre a identidade da instituição financeira que sugeriu o esquema, dizendo apenas que trata-se de um dos 100 principais bancos do país.

Porém, o bilionário e proprietário do Banco Nacional da Reserva, Aleksandr Lebedev, havia dito, em uma entrevista ao jornal Izvéstia no mês de julho, que sua instituição, classificada pelo Allbanks.ru como a 98o maior do país pelo volume de ativos, mantinha negociações para lançar o cartão.

A pressão sobre Lebedev, que também detém participação em empresas nos setores de agricultura, construção e mídia, parece aumentar, e ele declarou no mês passado que pretendia reduzir sua escala de negócios na Rússia. 


O Banco Nacional da Reserva, contudo, ainda tem planos de lançar o “cartão Naválni”, disse o porta-voz de Lebedev, Artiom Artiomov, na última sexta-feira.

“O banco tem muitos projetos, e esse é um deles”, disse. “A ideia está em processo de desenvolvimento.” 

 

Originalmente publicado pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.