Setor espacial aguarda reformas

Vladímir Popóvkin Foto: Artem Jitenev / RIA Nóvosti

Vladímir Popóvkin Foto: Artem Jitenev / RIA Nóvosti

O presidente da Roskosmos (agência espacial da Rússia), Vladímir Popóvkin, criticou o atual estado do setor espacial russo e salientou a necessidade de realizar reformas substanciais em uma apresentação a universitários na última semana.

A produtividade no setor é duas a quatro vezes inferior à dos países líderes no setor. Além disso, a alta nos preços de matéria-prima e energia podem reduzir a competitividade dos veículos espaciais russos.

Acidentes no espaço

Os últimos dois anos foram marcados por uma série de acidentes graves no espaço. O mais notável foi a perda da estação interplanetária Fobos-Grunt, no início deste ano.

O acidente mais recente aconteceu em 7 de agosto, quando se perderam dois satélites de comunicação comerciais, o Express-MD2 e o Telkom-3, devido a uma falha no lançador Briz-M do foguete Proton.

De acordo com Popóvkin, manter as coisas como estão poderá levar provedores de serviços a buscarem serviços internacionais (em imagens de satélite, aluguel de canal de comunicação etc.), que podem custar até metade do preço ds russos.

O presidente do Roskosmos destacou a necessidade de reduzir significativamente o número de funcionários no setor espacial, aumentando a produtividade dos trabalhadores e das empresas.

 "Atualmente, as indústrias do setor espacial  empregam mais de 240  mil trabalhadores. Esse número deve ser reduzido para algo entre 150 e 170 mil", declarou Popóvkin.

As declarações do chefe do Roskosmos podem ser umaresposta às críticas do premiê Dmítri Medvedev às atividades da agência espacial russa em uma reunião do governamental realizada no início de agosto.

Medvedev qualificou como "inaceitável" a situação no setor espacial no país.

"Não qual é a origem de acidentes com satélites: defeitos tecnológicos ou descuido humano. Mas não podemos mais tolerar isso. Estamos perdendo a credibilidade e bilhões de rublos", declarou então o premiê.

Reforma em andamento

A preparação da reforma do setor espacial já está em andamento. O governo está aperfeiçoando um programa de políticas para as atividades espaciais até 2030.

De acordo com o documento, a Roskosmos criará sete grandes estruturas integradas para substituir as atuais 15 empresas de pesquisa e produção. Estima-se que cada estrutura leve 18 meses para ser criada.

Os programas de voos tripulados e pesquisa científica estarão a cargo da sociedade anônima aberta "Corporação Espacial Russa".

A S/A aberta "Corporação de Foguetes Espaciais" será a maior holding do setor e reunirá todas as empresas relacionadas com a construção de veículos lançadores, unidades de propulsão e satélites.

Popóvkin, que teve a iniciativa, admitiu que a construção de motores para veículos espaciais é um dos pontos mais fracos do setor espacial russo. 

A nova  estrutura dará atenção especial ao desenvolvimento do componente  militar nas atividades espaciais e reunirá duas holdings: a S/A aberta "Sistemas Espaciais Especiais", composta por empresas especializadas em construção de sistemas de aviso prévio contra mísseis, sistemas de reconhecimento espacial e identificação de alvos e  meios de guerra eletrônica, e a  S/A aberta "Mísseis Estratégicos".

Comentário: Ígor Korótchenko


Presidente do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa, Ígor Korótchenko comentou o discurso do presidente do Roskosmos a universitários:

"O setor espacial russo mantém o potencial desenvolvido nos tempos da URSS. Se tomarmos medidas eficazes para inverter a situação do setor, podemos tomar a dianteira na corrida pelo título de grande potência espacial. Se perdermos tempo, poderemos ceder nosso lugar à China, Brasil, Índia e alguns outros países." 

A última incluirá empresas de desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais, sistemas de comando e controle automáticos e rampas de lançamento de mísseis estratégicos.

A fabricação de sistemas de telecomunicações, navegação e propulsores elétricos para veículos espaciais estará a cargo da S/A aberta "Corporação de Sistemas de Informação por Satélite".

A S/A aberta "Sistemas Espaciais Russos" irá integrar empresas especializadas em construção de radares terrestres e aeroembarcados, sistemas de controle automatizados terrestres e sistemas óptico-eletrônicos terrestres e embarcados em aviões. 

A última estrutura será a empresa estatal "Centro de Uso da Infraestrutura Terrestre e Espacial", que concentrará todas as empresas e entidades ligadas ao funcionamento das bases de lançamentos espaciais, sistemas de comunicação terrestres, radiotelescópios, sistemas de abastecimento e serviços de lançamento de veículos espaciais.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.