Redes fast food nunca são demais

Foto: Lori / Legion Media

Foto: Lori / Legion Media

Moscou oferece ótimas oportunidades para empreendedores interessados em investir em pontos de alimentação rápida.

Segundo um provérbio russo, “o diabo não é tão feio quanto se pinta”. Na Rússia capitalista, esse ditado adquire especial importância.

O país oferece muitas oportunidades e aqueles que desejam abrir seu próprio negócio devem apenas ter uma noção clara do rumo a seguir. Em outras palavras, onde investir e o momento certo de tomar a iniciativa.

Se existe um mercado promissor em Moscou, certamente é o das redes fast food. Não se pode dizer que há poucos pontos de alimentação rápida na capital russa, mas, em comparação com as maiores cidades do mundo, o cenário ainda é muito modesto.

A capital russa não possui uma marca registrada nesse ramo, como os kebabs de Berlim ou os cachorros-quentes de Nova York, mas o mercado tem grande potencial para alojar muitos investidores.

Os próprios especialistas avaliam o mercado de hambúrgueres de Moscou em vários bilhões de dólares.

Passo a passo do empreendedor

Pensou nas vantagens de abrir um negócio na Rússia? A primeira ideia que vem à cabeça é lançar um projeto de rede fast food na subprefeitura central de Moscou, região que concentra cerca de 70% da população metropolitana.

Nos primeiros meses, três ou quatro lanchonetes são suficientes para cobrir essa área geograficamente privilegiada. As lanchonetes podem ser pequenas e ter um número reduzido de assentos, para que os lanches vendidos sejam consumidos fora do estabelecimento. Afinal, os imóveis no centro de Moscou são caríssimos.

Os pratos simples e com poucos ingredientes reduzem não só o custo de produção, mas também o tempo de preparo.

Uma sugestão: que tal uma pizzaria que ofereça três ou quatro sabores de pizza e dois tipos de salada, refrigerantes e duas opções de cerveja? As pizzas podem ser vendidas por inteiro ou em fatias.

Nesse estabelecimento, uma refeição com duas fatias de pizza, um refrigerante e uma salada sairia em torno de US$ 8,5 para os clientes – um preço bastante razoável para os padrões de Moscou.

Feita a divulgação necessária, o negócio passará a fidelizar os clientes. Chega a hora, então, de abrir novos pontos de venda em bairros residenciais e estender o serviço aos fins de semana.

Somando todos os gastos com publicidade para atrair os consumidores mais sofisticados, o investimento necessário gira em torno de um milhão de dólares. Os especialistas de mercado garantem que atrás deles virão os clientes mais simples e, com isso, o retorno do capital aplicado dentro de 14 a 16 meses. 

Leonid Frolov  é cofundador da web startup Venture Street, com sede em Moscou

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.