Tartarstão recebe festival de cinema muçulmano

Foto: kazan-mfmk.com

Foto: kazan-mfmk.com

Com 80 longa-metragens divididos em diferentes programas, a 8° edição do Festival Internacional de Cinema Muçulmano aconteceu na cidade de Kazan, capital da região administrativa do Tartastão.

Em sua oitava edição, o Festival Internacional de Cinema Muçulmano de Kazan terminou no último dia 11 de setembro, e levou à capital do Tatarstão mais de 200 filmes de 55 países.

O vencedor do Grande Prêmio do festival foi a comédia iraniana "Um grãozinho de açúcar" , de Sayyid Reza Mir-Karimi.

"Um grãozinho de açúcar"

Segundo o presidente do júri, o diretor cazaque Davlatnazar Khudonazarov, a mesa se baseou em “valores humanos universais” para a escolha do atribuir o Grande Prêmio.

“Um grãozinho de açúcar” mostra a história três irmãs que retornam à casa da família para ajudar a caçula a se preparar para o casamento. O filme também faturou o prêmio de melhor fotografia e de melhor interpretação feminina.

Os prêmios foram entregues por Valéri Zolotúkhin, diretor artístico do Festival de Cinema Ortodoxo "No Círculo Familiar". Sua participação no festival muçulmano foi uma demonstração de irmandade religiosa.

Sem Bollywood

O longa indiano "Abu, filho de Adão" do diretor Salim Ahmed, foi escolhido como melhor roteiro e recebeu um prêmio especial da Associação Russa de Críticos de Cinema.

Abu, filho de Adão

Rodado em Kerala, no sul da Índia, o filme sai dos parâmetros de Bollywood. No país de origem ele foi sucesso de crítica e chegou a ser candidato ao Oscar.

"Abu, filho de Adão" conta a história de um casal de idosos que sonha em fazer o haj, a peregrinação para a cidade sagrada de Meca, mas não tem dinheiro para viajar.

Outro iraniano, o diretor Mohammad Ali Hazhemzehi, recebeu o prêmio especial do governador do Tartastão. Hazhemzehi é autor de dois curtas-metragens documentais: "Feliz", sobre um condutor de camelos, e "Sechkan", sobre a construção de uma mesquita com ramos de salgueiro no deserto.

O prêmio de melhor direção foi atribuído ao francês "O andar de cima, lado esquerdo", de Angelo Cianci, sobre um oficial de justiça feito refém por um traficante de drogas árabe de 17 anos e seu pai.

O andar de cima, lado esquerdo


O diretor russo-americano Andrêi Konchalóvski, convidado de honra da cerimônia e que teve uma retrospectiva em Kazan, recebeu um prêmio especial por sua contribuição ao cinema.

"Sabemos da história quão difícil é conquistar Kazan, mas o senhor conseguiu fazê-lo em poucos dias com seus filmes", declarou o presidente da comissão de cultura do Tartastão, Razil Valeev, ao entregar o prêmio a Konchalóvski, que completa 75 anos.

Texto original em russo em: http://www.kommersant.ru/doc/2021607

Confira os vídeos no site do festival: http://kazan-mfmk.com/info-2012/video

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.