Novo míssil balístico intercontinental deve ser construído até 2018

Míssil balístico Voevoda (Satan na classificação da Otan). Foto: Divulgação

Míssil balístico Voevoda (Satan na classificação da Otan). Foto: Divulgação

Comandante da Força de Mísseis Estratégicos da Rússia anunciou na última segunda-feira (3) início de trabalhos de contrução e lançamento do míssil.

A Rússia irá construir, até 2018, um novo míssil balístico intercontinental pesado, declarou o comandante da FMER (Força de Mísseis Estratégicos da Rússia), general Serguêi Karakaev, em entrevista à agência Ria-Novosti nessa segunda-feira (3).

"Os trabalhos de construção do míssil estão em andamento e deverão ser concluídos em 2018", disse o general.

Anteriormente, o ministério da Defesa da Rússia havia afirmado que se os EUA não abdicassem de seus planos de instalar o escudo europeu de defesa antimíssil, a Rússia iria tomar contra-medidas, incluindo aquela de criar um novo míssil pesado de  combustível líquido.

No entanto, a data estimada para a conclusão dos trabalhos de construção de um novo míssil não foi divulgada.

O general não descartou a hipótese de os EUA instalarem elementos ativos de defesa antimíssil. Para ele, o país está realizando intensos trabalhos de pesquisa e desenvolvimento nessa área.

Se isso acontecer, o potencial dos mísseis balísticos de combustível sólido russos será insuficiente para romper o escudo antimíssil americano, declarou o general.

De acordo com ele, nesse contexto um novo míssil balístico de combustível líquido, com um peso de lançamento de 100 toneladas e melhor relação entre o peso do veículo e a carga útil do que em seu par de combustível sólido, seria mais eficaz.

Tais mísseis só podem ser instalados em silos.

Original em russo na íntegra em: http://ria.ru/defense_safety/20120903/741901672.html

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.