Autoridades poderão ganhar carros de luxo

Limousines da lendária fabricante de carros soviética Zil. Foto: Kommersant

Limousines da lendária fabricante de carros soviética Zil. Foto: Kommersant

Kremlin pretende desenvolver e produzir uma série de carros de luxo para uso das autoridades de Estado, informou um porta-voz do governo nesta segunda-feira (3). Medida pretende forçar representantes do governo a usar carros de fabricação nacional ou provenientes dos demais países da União Aduaneira.

De acordo com o projeto já em andamento, uma fabricante russa ficará responsável pela produção de vários modelos de carros de luxo para uso dos representantes do governo, inclusive em escoltas oficiais, informou o porta-voz do gabinete para assuntos presidenciais, Víktor Khrekov, à agência Interfax.

Em 2010, o ex-presidente Dmítri Medvedev deu ordem ao governo para analisar a possibilidade de renovar a frota de limousines da lendária fabricante de carros soviética Zil, com o objetivo de disponibilizá-las às autoridades do país.

Em dezembro do mesmo ano, o ministro da Defesa, Anatóli Serdiukov apresentou esboços de um novo modelo Zil durante uma reunião do governo. Entretanto, sua produção não constava na agenda presidencial naquele momento.

Khrekov disse à Interfax que provavelmente a Zil não seria a fabricante da nova linha de carros, já que outros opções estavam sendo avaliadas. O porta-voz afirmou ainda que detalhes sobre o projeto podem ser anunciados em breve.

A participação do Grupo GAZ está sendo considerada no projeto, segundo fontes não identificadas do setor automobilístico. A empresa era responsável pelos carros das autoridades durante a União Soviética.

O projeto ganhou fôlego neste ano depois do presidente Vladímir Pútin dizer em abril que as autoridades “municipais e federais” deveriam adquirir apenas carros produzidos dentro da União Aduaneira – grupo econômico que inclui a Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão.

Os representantes do governo utilizam atualmente vários carros estrangeiros, incluindo modelos da BMW, Mercedes e Ford.

Originalmente publicado no site do The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.