Cientistas desenvolvem lançador de satélites hipersônico

 A aeronave é baseada em tecnologias existentes, incluindo os motores turboélice usados em aviões de combate da série Su-27 (na foto). Foto: sukhoi.org

A aeronave é baseada em tecnologias existentes, incluindo os motores turboélice usados em aviões de combate da série Su-27 (na foto). Foto: sukhoi.org

A empresa russa NPO Molnia está projetando um veículo hipersônico automático chamado Hammer (Martelo, em português), capaz de colocar satélites em órbita a uma distância de 200 a 500 km do planeta.

“A primeira fase do projeto consistiu em projetar a estrutura interna e externa da aeronave. Ela será capaz de transportar satélites pequenos de até 800 kg para órbitas a uma distância de 200 a 500 quilômetros do planeta”, segundo os documentos.

O relatório da NPO Molnia explica que o lançador recebeu esse nome porque “sua dianteira, vista de cima, parece um tubarão-martelo”.

A aeronave é baseada em tecnologias existentes, segundo o documento dos projetistas, incluindo os motores turboélice AL-31F usados em aviões de combate da série Su-27.

Nos últimos seis meses, o vice-primeiro-ministro da Rússia, Dmítri Rogózin, pediu diversas vezes para o país reconquistar a liderança perdida para os Estados Unidos no que diz respeito a aeronaves hipersônicas.

No início desta semana, ele mais uma vez solicitou que a tecnologia hipersônica fosse aplicada no desenvolvimento de um novo caça para a Força Aérea Russa.

Originalmente publicado no site da agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.