Medalhistas olímpicos faturam Audis

Anastásia Blizniúk levou ouro em ginástica rítmica Foto: Ria Nóvosti

Anastásia Blizniúk levou ouro em ginástica rítmica Foto: Ria Nóvosti

Na última quarta-feira (15), a Fundação dos Atletas Olímpicos da Rússia, financiada por 15 dos empresários mais ricos do país, presentou os vencedores das Olimpíadas de Londres com diferentes modelos de Audi.

Após a cerimônia no Kremlin apresentada pelo presidente Vladímir Pútin, os atletas se aventuraram pela Praça Vermelha, onde 129 Audis pretos, acompanhados por motoristas e laços ao vento, aguardavam os medalhistas. 

O ministro dos Esportes, Vitáli Mutko, misturou-se aos atletas e treinadores, parabenizando-os pelo feito. Na sequência, o cordão foi rompido e os esportistas se espalharam pela área.

Os vencedores da medalha de ouro receberam Audis A8, no valor de US$ 120 mil, os de prata ganharam versões A7 (US$ 75 mil), e os de bronze, A6s (US$ 50 mil).

O diretor-executivo da Fundação, Aleksandr Katuchev, não informou o valor final da compra dos carros , embora tenha afirmado que a aquisição foi feita com um “desconto significativo”. Segundo ele, “atletas de elite merecem carros de elite”.

Embora os medalhistas entrevistados pelo veículo “The Moscow News” tenham dito que os carros e o dinheiro não motivaram a vitória, os atletas aceitaram os presentes de bom grado.

Ele foram, um a um, conduzidos pelos motoristas, com exceção de diversos lutadores que insistiram em ficar atrás do volante.

A ginasta Alina Makarenko, 17, ficará no banco de passageiro durante o futuro próximo – ela não possui carteira de motorista.  Makarenko contou que sua mãe irá dirigir o A8 até que tire o documento.

“Acho que se fossem carros russos, ninguém teria aparecido”, disse a saltadora com vara Elena Isinbaieva, que ganhou bronze neste ano depois de ter levado o ouro para casa nas duas últimas Olimpíadas.

A Fundação de Atletas Olímpicos da Rússia conta com o homem mais rico da Rússia, Alicher Usmanov, e com os magnatas Roman Abramovitch, Víktor Vekselberg e Oleg Deripaska.

O país terminou em quarto lugar na contagem geral de medalhas, com 24 ouros, 26 pratas e 32 bronzes.

Originalmente publicado no site do The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.