Internet é melhor que sexo, revela estudo

De cada 3 russos, 1 fica estressado sem internet Foto: Photoxpress

De cada 3 russos, 1 fica estressado sem internet Foto: Photoxpress

Mais da metade dos russos entrevistados reconheceram que não conseguem viver sem entrar na rede. Além disso, muitos estão mais dispostos a renunciar ao sexo do que à internet, revelou a pesquisa da NewsEffector.

Um quarto das mulheres russas e um quinto dos homens estão prontos a desistir de sexo em nome do acesso à internet. Esses dados foram transmitidos à agência de notícias Interfax por especialistas da empresa de pesquisa de opinião NewsEffector.

Mais da metade dos participantes da pesquisa (53%) afirmaram que são dependentes da rede e, em geral, não podem viver sem acesso à internet.

A lista dos sites mais populares é liderada pelas redes sociais VKontakte, Odnoklassniki e Facebook e pelo portal mail.ru.

Preferem contato virtual:

À convivência com a família

12% dos russos

9% das russas

A sair com os amigos

34% dos russos

32% das russas

Ao telefone

12% dos russos

17% das russas


Na sequência, estão os sites de amizade e de conteúdo erótico, seguidos pelos jogos on-line e pelos sites de notícias.

Os sociólogos observam que quase 30% dos entrevistados costumam ficar sentados à frente do computador, buscando informações desnecessárias. A maioria deles (78%) afirma que a rede mundial é um bem para a humanidade, enquanto apenas 5% a consideram um mal.

No total, 7.800 pessoas de 18 a 55 anos de idade foram entrevistadas ao longo da primeira dezena de agosto.

Prioridades on-line   

Em maio deste ano, os sociólogos do Centro Russo de Estudo da Opinião Pública realizaram uma pesquisa semelhante em 46 regiões do país.

Os entrevistados deviam apontar três itens sem os quais não poderiam viver. No topo da lista ficaram a internet e a família.

Segundo essa pesquisa, a dependência número um dos russos é o hábito de fumar, admitido por 18% dos participantes. Em segundo lugar, foi apontado o apego à família e à pessoa amada (14%).

Os itens seguintes foram: computador, televisão e trabalho (11%); datcha e horta/jardim (7%); livros (6%); esporte (5%); carro (4%). No final, com apenas 2%, figuraram as bebidas alcóolicas, culinária, dinheiro, amigos e música.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.