“Estamos perdendo o prestígio”, diz Medvedev

Foto: TASS

Foto: TASS

Acidente recente envolvendo foguete russo desperta atenção das autoridades após repetidos fracassos no setor espacial.

Uma falha na tubulação principal de fornecimento de combustível do bloco de aceleração Briz-M é a causa mais provável do lançamento fracassado do foguete Proton-M, informaram peritos responsáveis pela análise do incidente.

“A tubulação pode ter entupido ou perdido a estanqueidade, diminuindo a pressão nos tanques de combustível. O propulsor não ganhou uma tração necessária e foi desligado pelo sistema de comando”, explica o redator-chefe da revista “Notícias da Cosmonáutica”, Ígor Marínin.

Na semana passada, o Proton-M deveria colocar em órbita dois satélites de comunicação: o russo Express-MD2 e o indonésio Telcom-3. Contudo, só o lançamento do foguete a partir da base Baikonur foi bem-sucedido.

O propulsor do bloco de aceleração Briz-M foi desligado automaticamente dentro de 7 segundos após o início do funcionamento em vez dos 18 minutos e 5 segundos programados. Como resultado, o módulo com satélites de comunicação ficou numa órbita de transição como lixo espacial.

“Não importa qual foi a causa. O importante é que o sistema tem baixa qualidade”, rebate o piloto-cosmonauta Aleksandr Aleksandrov.

Ao longo dos últimos dois anos o setor espacial russo presenciou vários lançamentos fracassados e o desperdício de satélites.

“Estamos perdendo o prestígio e bilhões de rublos”, declarou recentemente o primeiro-ministro Dmítri Medvedev, que irá fazer uma reunião dedicado ao último incidente e aos problemas do setor.

Os lançamentos dos foguetões do tipo Proton-M com os blocos de aceleração Briz-M foram suspensos para o período de esclarecimento das causas do incidente.

Por causa da notícia dos especialistas, a interrupção dos lançamentos de foguete Proton pode ser anulada nos próximos dias. Estão marcados mais oito lançamentos no futuro; quatro entre agosto e outubro e mais quatro até o final do ano.

Originalmente publicado no site Voz da Rússia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.