Juíza define data do veredito do Pussy Riot

Apoiado internacionalmente, trio contesta validade do julgamento Foto: ITAR-TASS

Apoiado internacionalmente, trio contesta validade do julgamento Foto: ITAR-TASS

Juíza responsável pelo julgamento das três integrantes da banda punk feminina Pussy Riot declarou que a sentença será anunciada no dia 17 de agosto. O procurador do Estado pediu três anos de cadeia para o trio.

Durante o oitavo dia de audiência nesta quarta-feira (8), as cantoras acusaram o tribunal de conduzir “uma ordem política para repressão”.  

“Esse não é o julgamento de três membros do Pussy Riot, mas uma avaliação de todo o sistema judiciário”, disse Nadejda Tolokonnikova, 22, uma das acusadas. Seu longo discurso foi recebido por aplausos de jornalistas e familiares presentes na sessão.

“Nós somos mais livres do que a acusação. É por isso que podemos dizer o que queremos. Eles não conseguem nem ler as palavras da oração punk”, completou.

Além de Tolokonnikova, Maria Aliokhina, 24, e Ekaterina Samutsevitch, 29, foram detidas em março, após cinco membros mascarados do Pussy Riot entoarem uma oração anti-Pútin na Catedral de Cristo Salvador, em Moscou.

Segundo elas, tratava-se de um protesto contra o apoio do igreja à campanha eleitoral do presidente russo Vladímir Pútin.

A canção, que pedia para “Virgem Maria, livrai-nos de Pútin”, surgiu em meio a diversas manifestações inéditas contra os dozes anos no poder do ex-agente do KGB.

A procuradoria de Estado mantém que a performance tinha objetivo de ofender a comunidade cristã ortodoxa, uma alegação negada pelas integrantes do Pussy Riot. Elas reiteraram que a oração punk foi apenas um ato político.

Vários artistas e políticos ocidentais se pronunciaram sobre o caso. Ontem (7) foi a vez da cantora norte-americana Madonna, que defendeu o trio durante um show em Moscou.

A estrela pop vestiu um capuz semelhante ao usado pelo grupo, além de mostrar o nome da banda escrito em suas costas enquanto cantava o hit “Like a Virgin”.

 

Texto originalmente publicado no site da agência RIA Nóvosti


Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.