Para Khodorkóvski, julgamento de Pussy Riot é 'vergonha'

Foto: Kommersant

Foto: Kommersant

Da prisão, magnata do petróleo comentou o julgamento de integrantes da banda punk Pussy Riot.

Da prisão, o ex-diretor-geral da petrolífera Yukos comentou o julgamento da banda Pussy Riot, que chamou de “inquisição medieval”. “Estou muito envergonhado. Não pelas jovens meninas, que poderiam ser perdoadas por erros de radicalismo, mas pelo Estado, que está difamando a Rússia”, disse Khodorkóvski. “Os russos fomos privados de julgamento justo e independente, da capacidade de nos defender”, completou.

Khodorkóvski cumpriu uma pena de oito anos de prisão por sonegação de impostos, mas continua preso, condenado a mais cinco anos mais em 2011. Três componentes da banda punk Pussy Riot foram presas em março após um protesto dentro da principal igreja ortodoxa de Moscou, a Catedral do Cristo Salvador. Com os rostos cobertos, elas cantaram uma música intitulada “Virgem Maria, libertai-nos de Pútin”. Acusadas de 'desordem pública', elas agora podem ser sentenciadas a até sete anos no prisão.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.