Leis controversas têm apoio de russos

Mais de 1,6 mil pessoas participaram na pesquisa do centro Levada que foi realizada entre 20-23 de julho de 2012. Foto: Kommersant

Mais de 1,6 mil pessoas participaram na pesquisa do centro Levada que foi realizada entre 20-23 de julho de 2012. Foto: Kommersant

Estudo do Centro do Levada revela que russos apoiam leis polêmicas, como a que cria uma lista negra de sites, a taxação de organizações como “agentes estrangeiros” e volta do artigo sobre calúnia ao Código Penal

Os russos estão prontos para um endurecimento da legislação com intuito de garantir sua segurança, aponta estudo do instituto de pesquisas Centro Levada.

De acordo com a pesquisa, cerca de 58% dos respondentes apoiam o retorno ao Código Penal de um artigo sobre calúnia retirado durante o mandato presidencial de Dmítri Medvedev, enquanto apenas 20% se pronunciaram contra o projeto de lei.

Outra lei polêmica, sobre a criação de uma lista negra e filtragem de sites pelo governo russo, conta com o apoio de 62% dos russos, contra os 16% que se opõem à iniciativa.

Já o projeto de lei proposto pelo partido governante Rússia Unida que taxa de “agentes estrangeiros” todas as organizações sem fins lucrativos que recebem verbas de países estrangeiros tem o apoio de  45% dos respondentes.

“Devido à falta de informação, os russos não podem avaliar as consequências da aprovação dessas leis”, diz Iúri Djibladze, diretor do Centro de Desenvolvimento da Democracia e dos Direitos Humanos.

Dos respondentes, 36% afirmam que a calúnia foi incluída no Código Penal para “defender melhor os direitos dos cidadãos caluniados”, enquanto 22% acha que a lei ajudará "proteger os funcionários de governo de críticas da sociedade civil”.

Além disso, 52% afirmam que a lista negra de sites foi criada para “combater pornografia infantil e promoção de suicídios".

"Os cidadãos compreendem que o governo agiu corretamente ao regulamentar as questões que causam preocupação da sociedade", acredita o vice-secretário do Conselho Geral do Partido Rússia Unida, Aleksêi Tchesnakov. "Os russos precisam de segurança e por isso apoiam as novas medidas de regulamentação", completa.

Nem todos os entrevistados acreditam que as novas leis podem ser usadas como censura, embora 44% concordem que o retorno do artigo sobre calúnia ao Código Penal pode restringir a liberdade de expressão na Rússia.

De acordo com a pesquisa, 34% dos entrevistados afirmam que a proibição de publicação de sites pode acarretar em diminuição da liberdade de expressão, enquanto 51% discordam desses.

“Apenas uma pequena parcela da sociedade tem necessidade de liberdade de expressão, a maioria dos russos compreende a liberdade de expressão como um elemento de ameaça”, diz o vice-diretor do Centro Levada, Aleksêi Grajdánkin.

Realizada entre 20 e 23 de julho de 2012, a pesquisa do Centro Levada contou com mais de 1,6 mil entrevistados.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.