Sem visto, cubano encalha no mar

O cidadão cubano Luis Vladimir Vega Céspedes passa mais de um mês a bordo de navio entre a Rússia e a Finlândia. Foto: TASS

O cidadão cubano Luis Vladimir Vega Céspedes passa mais de um mês a bordo de navio entre a Rússia e a Finlândia. Foto: TASS

O cidadão cubano Luis Vladímir Vega Céspedes, residente na Rússia, fez vinte viagens ida e volta de São Petersburgo a Helsinque sem desembarcar.

Residente na Rússia há dez anos, o arquiteto Céspedes, cuja mulher é russa, deve receber o visto de permanência no país ainda em 2012.

Enquanto isso não acontece, ele é obrigado a cruzar a fronteira todo mês, pois só pode permanecer em território russo por trinta dias.

Na verdade, o cidadão cubano infringiu essa norma duas vezes: na primeira, houve atraso do seu voo; na segunda, do navio. Sua sorte é que o Serviço de Imigração Federal não pode registrar ocorrências por motivos de força maior.

Proibido de entrar na Rússia, Céspedes recorreu ao judiciário. O mais provável seria que o juiz desse ganho de causa ao cubano, mas a data da audiência final o obrigaria a infringir o prazo do visto uma terceira vez.

Então, de posse da ordem de suspensão da proibição emitida pelo juiz, viajou a Helsinque, mas, quando voltou, não pôde entrar na Rússia.

Luis Vladímir também não podia desembarcar na costa finlandesa, pois não tinha o visto de Schengen, que permite a livre circulação em diversos países europeus.

A solução foi pagar uma segunda viagem no cruzeiro e permanecer no navio. A empresa de transporte resolveu até ajudá-lo e ofereceu trabalho ao desafortunado viajante.

No final, ele obteve autorização para desembarcar, mas, na verdade, como explica a chefe do departamento do Serviço de Imigração Federal de São Petersburgo e da região de Leningrado, Elena Dunaeva, “por pouco não burlamos a lei vigente”.

“Não podemos nem receber os documentos desse cidadão para emitir o visto de permanência temporária na Rússia, pois ele já cometeu duas infrações administrativas”, completa.

Ao que tudo indica, Luis Céspedes está disposto a conquistar o visto russo permanente no tribunal, mesmo que para isso tenha de viver algum tempo a bordo de um navio.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.