Rússia amplia seu papel na luta mundial contra a Aids

No ano passado, a Rússia doou US$ 31 milhões para organizações que estão implementando programas de HIV. Foto: TASS

No ano passado, a Rússia doou US$ 31 milhões para organizações que estão implementando programas de HIV. Foto: TASS

Relatório da ONU faz elogios à crescente contribuição da Rússia nos esforços globais de prevenção do HIV. Pesquisadores apontam, contudo, necessidade de iniciativas internas para conter crescente propagação do vírus.

A Rússia está assumindo um papel de liderança no esforço global para combater o HIV/Aids, sobretudo considerando o aumento de novos casos pelo país, de acordo com relatório da Unaids (agência da ONU para questões ligadas ao HIV/Aids)  publicado nesta quarta-feira, 18.

Os pesquisadores afirmaram que a Rússia está prometendo grandes investimentos para apoiar os programas internacionais de HIV e, assim, monitorar sua propagação e encontrar uma vacina para o vírus.

No relatório anual, intitulado “Juntos eliminaremos a Aids”, os especialistas da área de saúde fizeram elogios contidos à crescente contribuição da Rússia aos esforços globais de prevenção.

Segundo o documento, o país está se colocando à frente para compartilhar as últimas descobertas e dar assistência financeira a seus vizinhos.

No ano passado, a Rússia doou US$ 31 milhões para organizações que estão implementando programas de HIV. A maioria dos recursos foi alocado em associações de países da Comunidade dos Estados Independentes, um grupo regional formado pelas nações da ex-União Soviética.

Mas apesar do aumento de investimento em prevenção ao HIV no exterior, a Unaids aconselhou as autoridades russas a buscar mais contribuições para a causa, citando o crescente número de milionários no país como prova de que fontes de financiamento locais existem em abundância.

Lição de casa

A organização global de saúde também assinalou o aumento de incidência de portadores de HIV na Rússia para demonstrar que a própria taxa de incidência do país não está sob controle.

Em 2010, último ano em que as informações da Unaids tinham sido disponibilizadas, havia mais de 62 mil novos casos de HIV na Rússia, quase o dobro do índice de 2005.

De acordo com os dados no site da Unaids, atualmente há quase 1 milhão de russos infectados com o vírus.

Ania Sarang, presidente da Fundação Andrêi Rilkov para Saúde e Justiça Social, criticou a estratégia das autoridades na luta nacional contra o HIV.

“É de conhecimento geral que o governo está simplesmente gastando dinheiro para benefício próprio. O investimento não é feito para atender aos pacientes, mas às próprias autoridades”, diz.

“Eles obtêm lucros gigantescos em licitações federais para compra de drogas antirretrovirais – esse é o motivo de tanto empenho”, completa Sarang.

O diretor regional da Unaids para Leste Europeu e Ásia Central, Jean-Elie Malkin, disse que, apesar das autoridades terem conquistado ganhos notáveis e expandirem seu apoio regional em projetos, a eficácia dos programas de HIV na própria Rússia ainda podem ser melhorados.

“Falta de financiamento não é a questão”, contrapõe Serguêi Duguin, diretor da Ação Humanitária, uma ONG de São Petersburgo especializada em programas médicos e sociais para grupos de risco. Em vez disso, Duguin destaca a “má coordenação” como razão para as crescentes taxas de infecção.

Leia o texto original no site do The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.