Aumenta atuação de petrolíferas russas em Cuba

Vice-presidente do Conselho de Ministros da República de Cuba Ricardo Cabrisas (à esq.) visitou "Zarubezhneft" , onde se reuniu com o Diretor-Geral Nikolai Brúnitch (à dir.). Foto: Divulgação

Vice-presidente do Conselho de Ministros da República de Cuba Ricardo Cabrisas (à esq.) visitou "Zarubezhneft" , onde se reuniu com o Diretor-Geral Nikolai Brúnitch (à dir.). Foto: Divulgação

Durante os próximos 13 anos a empresa russa de petróleo Zarubejneft investirá cerca de US$ 3 bilhões em projetos na República de Cuba. Apesar da triste experiência de empresas espanholas na Argentina e na Bolívia, cujos ativos foram afetados pela expropriação e estatização, a companhia russa afirma não temer os riscos.

Na última quarta-feira (11), o conselheiro do Kremlin para política exterior, Iúri Uchakov, declarou que a empresa russa de petróleo Zarubejneft investirá cerca de 3 bilhões de dólares em projetos cubanos até 2025.

Segundo Uchakov, a maioria dos depósitos de petróleo em Cuba foram descobertos por especialistas soviéticos.

“Em 2009, a Zarubejneft injetou cerca de US$ 40 milhões em Cuba, e o volume total dos investimentos na região até 2025 alcançará US$ 2,9 bilhões”, disse Uchakov à agência de notícias russa Interfax.

No ano passado, a Zarubejneft assinou quatro contratos com a empresa cubana de exploração e produção de hidrocarbonetos Cubaрetroleo.

Esses foram os primeiros acordos entre a Rússia e Cuba na área durante os últimos 20 anos e preveem a participação dos russos na exploração e produção de hidrocarbonetos em dois blocos marítimos.

A Zarubejneft começará a perfurar o poço de exploração no Bloco L, em Cuba, a partir de novembro.

Uchakov acrescentou que a empresa russa de energia Inter RAO UES também entrou no mercado cubano em 2009. Durante os últimos três anos a empresa fechou 10 contratos de fornecimento de equipamentos de energia elétrica no valor de US$ 11,6 milhões.

A Inter RAO UES planeja ainda criar uma joint venture com a empresa cubana Unión Eléctrica, que será responsável pela modernização da usina termoelétrica na cidade de Mariel.

Risco sob controle

De acordo com especialistas, os benefícios da participação de empresas russas em projetos cubanos superam os riscos.

"É óbvio que observadores externos vão associar os riscos de investir em Cuba com a expropriação recente de 51%  da YPF, que pertencia à empresa espanhola Repsol", diz o codiretor do departamento de análise da empresa de investimentos Investkafe, Grigóri Birg.

“No entanto, Cuba precisa de investimentos no setor de petróleo e gás, e não vai agir do mesmo modo”, completou.

A Rússia investiu relativamente pouco na exploração de petróleo na região ao longo dos últimos anos. “Porém, como as reservas podem conter mais de 20 bilhões de barris de petróleo, as empresas estão prontas para assumir os riscos”, arrematou Birg.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.