Navios de guerra russos passarão pela Síria

Navio de guerra  “Almirante Tchabanienko”  liderará  a transição para o mar Mediterrâneo. Foto: TASS

Navio de guerra “Almirante Tchabanienko” liderará a transição para o mar Mediterrâneo. Foto: TASS

Três frotas russas serão reunidas de uma só vez no mar Mediterrâneo para exercícios militares. Autoridades norte-americanas demonstraram preocupação por acreditarem que a campanha possa estar relacionada ao conflito na Síria.

O navio “Almirante Tchabanienko”, especializado no combate contra submarinos, e três grandes embarcações para transporte de tropas e equipamentos saíram na última terça-feira, 10, de Severomorsk em direção ao mar Mediterrâneo, com planos de passar pelo porto sírio de Tartus, informaram fontes militares e diplomáticas à agência de notícias Interfax-AVN.

O Ministério da Defesa russo explicou que serão realizados exercícios das frotas do Norte, do Báltico e do mar Negro. “O conjunto dos navios [...] prepara-se para exercícios militares nos mares Mediterrâneo e Negro”, comunicou o órgão.

Segundo o ministério, a programação da campanha considera a passagem pelo porto sírio de Tartus, pois ali há um ponto de abastecimento material e técnico da Marinha.

“Pelo fato de existir uma base russa no porto sírio de Tartus, não excluímos a possibilidade de passar por lá em caso de necessidade”, informou o secretário de imprensa da Marinha russa, Andrêi Taraman, ao serviço russo da BBC.

Aos navios da frota do Norte, vão se juntar um destacamento da frota do Báltico, composto do barco de guarda Iaroslav Mudri e do navio-tanque Lena, assim como um grupo de navios da frota do mar Negro, constituído da embarcação Nikolai Filtchenkov para transporte de tropas, do Tsezar Kunikov e do barco de guarda Smetlivi.

Insegurança de volta

   

O Departamento de Política Externa da Rússia negou que os navios militares russos estivessem se dirigindo especificamente para a Síria. Uma fonte do Ministério das Relações Exteriores informou à Interfax que a campanha das frotas é “um exercício de ação conjunta programada”.

“A saída dos navios acontece de acordo com planos de preparação militar da Marinha russa e não está relacionada ao conflito na Síria”, reiterou Andrêi Taraman.

Anteriormente, o vice-secretário de imprensa do Ministério da Defesa, Iúri Ivanov, havia comentando à BBC que os exercícios das três frotas combinadas não são um acontecimento fora do comum.

Em um comunicado, o porta-voz da diplomacia americana, Patrick Ventrell, demonstrou insegurança em relação à campanha dos navios da Marinha russa. 

“As autoridades russas afirmaram que essas embarcações passarão pelo porto de Tartus para reabastecimento e que nada disso está relacionado com o conflito na Síria. Esperamos que isso seja verdade”, disse o representante oficial do Departamento de Estado dos EUA.

Segundo Ventrell, os americanos estão “mantendo contato com os russos”, mas não têm informações suficientes sobre “o que pode acontecer na base de Tartus”.

Baseado em notícias da agência Interfax, serviço russo da BBC e ITAR-TASS 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.