Yandex entra na disputa com Google e Bing

Líder na Rússia, o Yandex tem participação de 60% no mercado nacional Foto: Kommersant

Líder na Rússia, o Yandex tem participação de 60% no mercado nacional Foto: Kommersant

Principal ferramenta de busca russa figura entre os três maiores buscadores do mundo em número de páginas indexadas. Empresa responsável pelo Yandex prevê expansão nos próximos anos, mas especialistas têm dúvidas sobre sua performance no exterior.

O Yandex, principal ferramenta de busca russa, ampliou a cobertura de seu índice de pesquisa global, ganhando uma posição entre os três maiores site de busca do mundo ao lado do Google e Bing, informou o diretor-geral da empresa, Arkádi Voloj, durante um discurso no Fórum Econômico de São Petersburgo. 

“Estamos prestes a lançar uma nova versão cuja dimensão global é comparável ao Bing e ao Google. O nosso volume atual já é imenso, e as pessoas podem acompanhar isso no yandex.com”, disse Voloj à agência de notícias Ria-Nóvosti. 

Segundo o executivo, o Yandex indexava apenas quatro bilhões de páginas, mas, nos próximos meses, uma nova tecnologia será integrada aos motores de busca na Rússia, Ucrânia, Bielo-Rússia e Turquia.

A decisão sobre o ritmo de expansão do Yandex em outros países será tomada na segunda metade do ano, depois que forem analisados os resultados do desempenho da empresa na Turquia.

Receio à vista

Os especialistas, no entanto, estão céticos em relação às atividades do Yandex no mercado turco, lançado em setembro de 2011. Em nove meses de presença no país, a participação de mercado da ferramenta russa cresceu de zero para 0,6%. 

“Esse ritmo de crescimento não é dos melhores. Não há sentido discutir o avanço do Yandex em outros países enquanto a ferramenta não conseguir uma posição adequada na Turquia”, afirma Guérman Klimênko, diretor da portal russo LiveInternet. Segundo Klimênko, antes de seguir a países de outros grupos linguísticos, o Yandex deve dominar os mercados dos países onde a língua russa tem histórico em termos de audiência.

“Infelizmente, isso não acontece. Na Ucrânia, o Yandex tem uma fatia de 30% no mercado, na Bielorrússia, 40%, e no Uzbequistão, 28%. Em Israel, país onde o número de imigrantes russos é impressionante, o Yandex tem apenas 6%”, completa. 

Volume de informação

O Yandex lançou seu próprio índice global em maio de 2010, convidando os usuários a procurar informações por toda a internet. No entanto, de acordo com Voloj, a ferramenta operava somente com os sites mais populares, o que era suficiente para atender 80% das solicitações. 

Mesmo com os planos de expansão, os executivos do Yandex já afirmaram não ter interesse em entrar nos EUA devido à grande concorrência. 

Quanto aos mercados locais, a ferramenta irá oferecer o mesmo volume de serviços e informações de seus concorrentes globais. “Não podemos permitir que o Yandex não faça busca em sites americanos ou franceses”, arremata Voloj. 


Com base nas informações da Rossiyskaia Gazeta, RBC e RIA Nóvosti.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.