Felizes para sempre?

Foto: kremlin.ru

Foto: kremlin.ru

Estudo do Centro Levada revela que, comparada a 2010, a atitude em relação a Pútin piorou e o número de pessoas que simpatizam com atual presidente caiu, em média, de 50% para 30%. Mas, apesar de certo descontentamento com o terceiro mandato de Pútin como presidente, há clima de esperança.

Apenas 15% dos russos concordam plenamente com o presidente Vladímir Pútin, revelou uma pesquisa conduzida pelo Centro Levada entre os dias 25 e 29 de maio com 1.604 respondentes por todo o país. 

Ainda assim, de acordo com o estudo, parte da população continua a apoiá-lo e tem esperança no presidente. 

A pesquisa concentrou-se nas impressões dos cidadãos russos sobre o retorno de Pútin à posição de chefe de Estado. 

Como resultado, verificou-se que cerca de 28% dos entrevistados estão totalmente satisfeitos com retorno de Pútin, revelando que o momento atual se traduz com “orgulho pelo país, alegria, satisfação e confiança no futuro”. 

Quase a mesma quantidade de entrevistados, 27%, são indiferentes ao fato. Outros 24% têm esperança no governo e os 21% restantes não estão felizes com o terceiro mandato de Pútin.

Retorno à presidência

Em novembro do ano passado, quando Pútin declarou sua decisão de voltar ao Kremlin, o Centro Levada fez uma pesquisa semelhante, perguntando quais eram as impressões do povo russo em relação ao anúncio. Então, 32% dos entrevistados demonstravam reações positivas, contra os 23,5% que desaprovavam a candidatura.  


A pesquisa também revelou uma queda no número de partidários do presidente. Questionados sobre as ideias de Pútin e se estariam preparados para apoiá-lo, apenas cerca de 15% dos entrevistados afirmaram compartilhar plenamente de seus pontos de vista, contra os 22% de agosto de 2010 e 16% de agosto de 2011. 

Aproximadamente 26% se disseram prontos para apoiar Pútin se este der continuidade às reformas democráticas e de mercado – uma queda em relação a 2010, quando a parcela era de 30% dos respondentes, e a 2010, de 29%.

A porcentagem de pessoas decepcionadas com Pútin alcançou os 17% neste ano, uma alta comparada aos 11% em 2010. 

A mesma quantidade de entrevistados diz apoiar o atual presidente por falta de outra alternativa. 

Cerca de 14% dos entrevistados não o apoiam de modo algum e 7% não estão muito contentes com a situação, mas têm alguma esperança no presidente.

Perspectivas futuras

No geral, entre 43% e 44% dos russos estão otimistas sobre o futuro da Rússia sob o governo de Pútin. 

Eles acreditam que o nível de vida das pessoas deve melhorar ao longo dos próximos seis anos e que o país vai figurar na lista dos dez mais desenvolvidos, como promete o presidente. 

Os pessimistas somam quase a mesma porcentagem, entre 40% e 41%. Comparando-se os dados aos de 2010, a atitude em relação a Pútin piorou e o número de pessoas que simpatizam com atual presidente caiu, em média, de 50% para 30%. 

“Ainda assim, as pessoas continuam tendo esperança em Pútin como presidente”, afirma o vice-diretor do Centro Levada, Aleksêi Grajdánkin.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.