Nove motivos para investir na Rússia

Foto: PhotoXpress

Foto: PhotoXpress

Segundo Charles Robertson, economista-chefe da consultoria Renaissance Capital, investidores estrangeiros vão finalmente começar a colocar suas fichas na Rússia sem medo.

Ele segreda quais são os nove motivos para investir no país na atualidade:

1)      Boom de crédito. Em 2012, a oferta de créditos na Rússia deve aumentar em 19%. Isso é uma boa notícia, já que, entre 2006 e 2007, um cenário similar levou as ações russas a subirem mais rápido que o preço do petróleo.

2)      Privatizações à vista. O presidente e seu novo governo devem anunciar um grande programa de privatizações e reformas estruturais na economia nacional. A venda de bens estatais vai eliminar a presença do governo em muitos setores, exceto os de recursos naturais.

3)      Ingresso na OMC. A participação na Organização Mundial de Comércio será um choque competitivo para empresas russas, e deve aumentar sua produtividade.

4)      Melhorias no ambiente empresarial. Hoje em 120° lugar no ranking do Banco Mundial Doing Business, a Rússia deve alcançar a 50° posição até 2015. Em 2018, a Rússia deverá estar no “top 30” ou até no “top 20”, ultrapassando Brasil, Índia e China. As principais mudanças para a melhoria do ambiente empresarial devem acontecer até o final de 2012.

5)      Elevação do status dos títulos. Se os certificados de depósito colocados à venda em Moscou forem equivalentes aos cendidos nas bolsas de Londres ou Nova York, seu custo aumentará entre 15% e 20%. As alterações que devem levar a isso podem ocorrer nesse ano.

6)     Novas oportunidades em obrigações de empréstimos federais. As obrigações em rublos podem ser disponibilizadas através do sistema Euroclear (uma das maiores câmaras de compensação e liquidação do mundo que supre as operações com obrigações, ações e cotas dos fundos de investimentos). Assim, bilhões de dólares em investimentos internacionais chegarão ao mercado de dívida russo.

7)      Pagamento de dividendo ampliado. Esses benefícios já começaram na Rússia!

8)      Alta do petróleo. Com preço médio em 110 dólares por barril entre 2011 e 2013, a balança comercial da Rússia será positiva, em contraste com outros exportadores de matérias-primas como Brasil e Austrália.

9)      Dívida em baixa. A dívida pública da Rússia em 2011 era de apenas 10% do PIB, enquanto nos países em desenvolvimento é de cerca de 50%, e nos desenvolvidos varia de 80 a 100%. A dívida corporativa russa atinge 42% do PIB (a média dos países em desenvolvimento é de 50% e de 100 a 200% para os desenvolvidos). A dívida externa da Rússia é de 29%.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.