Cartões bancários no combate à corrupção

Blogueiro Aleksêi Naválni conseguiu fechar acordo para criar cartões "co-brand" Illustração: navalnycard.ru

Blogueiro Aleksêi Naválni conseguiu fechar acordo para criar cartões "co-brand" Illustração: navalnycard.ru

De acordo com a assessora de Aleksêi Naválni, o oposicionista fechou acordo com um banco emissor de cartões co-brand - que levam ilustração sob encomenda e podem ser usados nos estabelecimentos credenciados. O acordo geraria uma nova fonte de rendimentos para seu "Fundo de Luta Contra a Corrupção".

O “Fundo de Luta Contra a Corrupção”, instituição criada pelo blogueiro oposicionista Aleksêi Naválni, fechou um acordo com um banco emissor de cartões bancários co-brand - que podem ser usados em qualquer estabelecimento credenciado com a bandeira do cartão e levam ilustração sob encomenda. A informação foi divulgada pela assessora do blogueiro, Anna Veduta.

Segundo Veduta, o fundo receberá 1% de todas as transações efetuadas com o cartão. A porcentagem será descontada do banco, porém, e não do proprietário do cartão. Os termos de serviço da novidade serão estandardizados e sua ilustração mostrará que o proprietário “não tem medo e não é indiferente” (design disponível em: http://navalnycard.ru/). 

Naválni não quis divulgar o nome do banco com o qual fechou o acordo.

A porta-voz do blogueiro, que está preso desde o último dia 9 de maio, declarou ao jornal Vedomosti que o banco é apenas “uma estrutura” que não apoia oficialmente a atividade do “Fundo de Luta Contra a Corrupção”. Segundo as estimativas da agência de marketing “Radar”, cerca de quatro milhões de pessoas podem vir a encomendar os novos cartões.

Naválni declarou que as atividades do “Fundo de Luta Contra Corrupção” serão abertas e todos terão acesso a informações sobre os patrocinadores do projeto. O blogueiro estimou o orçamento anual do fundo em US$ 300 mil. A criação do fundo foi apoiada abertamente por uma série de empresários e figuras públicas.

Cartões co-brand são muito populares na Rússia e na Europa. Em alguns países europeus, até 60% dos cartões bancários são co-brand.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.