Metrô moscovita será expandido

Foto: TASS

Foto: TASS

Governo de Moscou quer construir mais 125 quilômetros de metrô até 2020, incluindo uma segunda linha em forma circular unindo as demais - hoje, a cidade já conta com um anel metroviário. Além disso, a ideia é ampliar o sistema de transportes para que esse alcance bairros novos. O custo do projeto será de mais de R$ 6,5 bilhões por ano.

A prefeitura de Moscou acaba de divulgar um programa de expansão de metrô, aprovado para finalização até 2020. “Durante os próximos 8 anos, o metrô de Moscou será ampliado em 50% e os congestionamentos nas linhas irão diminuir. Isso é mínimo necessário para o desenvolvimento da cidade”, declarou o prefeito de Moscou, Serguêi Sobiánin, no início de maio.

No segundo semestre de 2011, a prefeitura da capital aprovou um programa para desenvolvimento do sistema de transporte da capital que já incluía a expansão e construção de novas linhas.

Mosaicos de metrô do Moscou Fotos: Aleksandr Ganiúschin


Planejava-se, então, construir 75 quilômetros de metrô, 37 novas estações e 5 linhas adicionais. Mas, de acordo com o vice-prefeito em políticas de planejamento, Marat Khusnúllin, devido à contínua expansão da cidade foi necessário refazer o plano de desenvolvimento de metrô neste ano.

De acordo com o novo documento, serão necessários 100 bilhões rublos (cerca de R$ 6,5 bilhões) por ano no projeto. Até 2020 a prefeitura planeja abrir 70 novas estações e construir 42 quilômetros em novas linhas, e expandir em 83 quilômetros as linhas já existentes.

"Com a ampliação das linhas metropolitanas, em 2020 elas terão um total de 452 quilômetros, e o número de estações chegará a 252", disse o vice-prefeito.

Clique para abrir Ilustração: Niyaz KariI


Segundo Khusnúllin, um novo anel no metrô também aliviará o tráfego nas linhas de metrô existentes e permitirá que os passageiros cheguem ao centro da cidade mais rápido.

Entretanto, o pesquisador Nikolái Zalésskin, do Instituto de Economia e Política de Transporte, está convencido de que o programa deve tomar outra direção.

“Moscou ainda não usa todas as possibilidades que o transporte ferroviário oferece como um meio de transporte interurbano. As ferrovias estão concentradas no centro da capital, onde ocupam uma área enorme. É preciso também construir novas linhas de transporte ferroviário regional, conexões e pontos de baldeação entre os diferentes tipos de transporte", afirma Zalésski.

Khusnúllin reconhece que a construção do metrô é dificultada, ainda, pela falta de trabalhadores qualificados e pela falta de verbas. Até agora, a ampliação do metrô sempre foi realizada inteiramente com orçamento da capital.

Só no primeiro semestre de 2012, a cidade já gastou mais de 100 bilhões de rublos (R$ 6,5 bilhões) no incremento do metrô - R$ 4,7 bilhões em novas construções e o restante na substituição de equipamentos e vagões. A cifra é quase o dobro do que foi gasto em todo o ano 2011.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.