Explosões no Daguestão matam 11 e ferem mais de 120

Foto: TASS

Foto: TASS

Polícia confirma a possibilidade de ataques terroristas em um posto de controle policial em Makhatchkala, capital da república daguestanesa.

Pelo menos 11 pessoas morreram e mais de 120 ficaram feridas após duas fortes explosões em um posto de controle da polícia em Makhatchkala, capital da república do Daguestão, na última quinta-feira (3). Ambos os eventos foram classificados pela polícia local como ataques terroristas.

O primeiro explosivo foi detonado por um homem bomba no posto de controle Alaska-30 por volta das 10:20 (horário de Moscou). A sequência exata de acontecimentos ainda não está clara.

Segundo uma das versões da história, o terrorista bateu seu carro contra o posto, provocando a explosão; outras fontes afirmam, entretanto, que a bomba foi detonada após a polícia ter suspeitado do veículo e decidido inspecionar o carro na hora que partia da cidade.

Quando o primeira equipe de socorro chegou ao local cerca de vinte minutos depois, um segundo explosivo ainda mais poderoso foi acionado de uma Gazel, um tipo de van geralmente usado para transporte público, que estava estacionada perto da estação.

De acordo com a polícia, a primeira explosão foi equivalente a 30 quilos de TNT, enquanto a segunda, a 100 quilos. O Comitê Nacional Antiterrorismo disse que as bombas foram fabricadas com material improvisado.

As explosões foram tão fortes que lançaram o motor do primeiro carro, uma Lada Priora, a 200 metros do local, e pelo menos 20 carros próximos pegaram fogo, informou a agência Interfax. Os investigadores também descobriram restos mortais que poderiam pertencer aos terroristas.

Segundo informações do chefe de polícia do Daguestão, Magomed Magomedov transmitidas nesta sexta-feira (4) à agência Ria Nóvosti, ao menos 11 pessoas morreram até agora. No entanto, relatórios citando fontes médicas e policiais afirmam que esse número pode chegar a 13 ou 14.

Sete dos mortos eram policiais, e três, pessoas da equipe de emergência. Mais 122 indivíduos ficaram feridos, sendo que 63 das 87 vítimas hospitalizadas estão em condições graves. O restante já recebeu alta.

A polícia identificou o suposto organizador do ataque, de acordo com Magomedov, embora o nome do suspeito não tenha sido revelado.

O presidente Dmítri Medvedev pediu para Magomedov fornecer todo tipo de assistência necessária aos familiares daqueles atingidos pelos ataques, segundo declaração publicada no site do Kremlin.

Os conflitos armados entre militantes e forças de segurança são frequentes nas repúblicas do Cáucaso do Norte. No início de março, uma mulher bomba detonou um explosivo em um posto de controle a cerca de 40 quilômetros ao sul de Makhatchkala, matando cinco policiais.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.