Cientistas criam vidro antirradiação

O novo revestimento é utilizado no avião de caça Su-30 Foto: sukhoi.org

O novo revestimento é utilizado no avião de caça Su-30 Foto: sukhoi.org

Os cientistas do Centro de Pesquisa e Produção Tecnológuia, em Obninsk, a sudoeste de Moscou, criaram um revestimento de proteção solar e radioativa para os vidros da cabine do piloto dos aviões de combate.

O revestimento, composto por várias camadas de metal aplicadas no lado interno da janela, reduz o calor solar em 40% e a radiação, em 30%.

De acordo com Valêri Temníkh, diretor do departamento responsável pela criação, o novo aparato diminui também 250 vezes a radiação eletromagnética, além de aumentar a resistência e durabilidade dos vidros.

“As várias nanocamadas de metais são sobrepostas até se atingir uma luminosidade não inferior a 70%”, explica.

Temníkh explica que a radiação é refletida pelos vidros revestidos por uma camada protetora de cerca de 80 nanômetros de espessura e, já  enfraquecido, espalha-se em diferentes direções.

O novo revestimento é utilizado nos aviões de caça T-50 (PAK FA), MiG-29K, Su-30 e bombardeiros Su-34.

No fim de março, o jornal “Izvéstia” havia publicado que o Tecnológuia também revestiu os vidros da cabine do caça T-50 com uma película de ouro a fim de protegê-lo das ondas de rádio e radiação solar.

Segundo o engenheiro-chefe do centro de pesquisa, Vladímir Vikúlin, para a criação dessas películas protetoras é usado também estanho.

A espessura de cada camada é de 20 nanômetros, enquanto cada película pronta tem, no máximo, 90 nanômetros de grossura. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.