Autoridades mantêm restrições à carne brasileira

Serguêi Dankvert Foto: PhotoXpress

Serguêi Dankvert Foto: PhotoXpress

O Serviço Federal de Controle Veterinário e Fitossanitário (Rosselkhoznadzor) não tem razões para ampliar a lista de fornecedores brasileiros de carne certificados. O anúncio foi feito em Buenos Aires pelo diretor do Rosselkhoznadzor, Serguêi Dankvert, nas negociações com o Secretário de Defesa Agropecuária do Brasil, Ênio Marques Pereira.

Em um comunicado sobre os resultados das negociações, a assessoria de imprensa do Rosselkhoznadzor reproduziu o discurso de Serguêi Dankvert. “O Rosselkhoznadzor considera problemático ampliar a lista de empresas de carne brasileiras certificadas devido à insuficiência das garantias concedidas pela vigilância veterinária do Brasil”, explica.

Durante a inspeção realizada em 2010 e 2011, os veterinários russos deram uma avaliação negativa às empresas brasileiras inspecionadas.

É possível que, após a próxima inspeção das empresas brasileiras nos estados de Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, o lado russo imponha restrições à importação de carne proveniente dessas regiões.

Segundo o responsável, diante da adesão russa à Organização Mundial do Comércio (OMC), os russos deverão elevar exigências em relação à vigilância veterinária brasileira.

De acordo com o Serviço Federal de Controle russo, em 2011, o Brasil exportou para a Rússia 227 mil toneladas de carne bovina, 134 mil toneladas de carne suína, 70 mil  toneladas de carne de aves e 302 mil toneladas de soja.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.