Cooperação a passos lentos

Jato russo de treinamento de combate Iak-130 na FIDAE 2012  Foto: TASS

Jato russo de treinamento de combate Iak-130 na FIDAE 2012 Foto: TASS

Parceria entre países da América Latina e Rússia deve crescer com novos acordos de cooperação técnico-militar. No Brasil, compra de carro blindado “Tigre” está sendo avaliada após realização de testes satisfatórios.

O anúncio dos projetos de cooperação foi feito às vésperas da 17ª Feira Internacional do Ar e Espaço, FIDAE-2012, que abriu as portas nesta terça-feira (27) em Santiago, no Chile.

De acordo com o chefe da delegação da Rosoboronexport, Serguêi Svetchnikov, os diversos acordos e contratos fechados com países latino-americanos representam um enorme progresso para a empresa. “Estamos elaboramos projetos com quase todos os países da região”, disse.

Svetchnikov não acredita, contudo, que o processo será fácil. “Não devemos esquecer que há uma forte concorrência. Mas estamos decididos a seguir em frente, sobretudo por causa do interesse dos  países da América Latina em ampliar a cooperação com a Rússia nessa área”, completou.

Cuba


Temos uma grande experiência de cooperação técnico-militar com esse país. Nossas relações tiveram altos e um longo período de baixos, por razões conhecidas”, disse Svetchnikov.

Segundo ele, as relações voltaram à normalidade e são atualmente marcadas por um trabalho estável. Svetchnikov destacou, ainda, o papel positivo da visita oficial a Cuba do presidente russo, Dmítri Medvedev, em 2008, e dos trabalhos da comissão intergovernamental de cooperação Rússia-Cuba.

“Estamos cumprindo nossas obrigações conforme o acordo de cooperação assinado em 2010, pelo qual a Rússia concedeu a Cuba um crédito para a compra de equipamento de guerra. Por enquanto, os valores dos contratos não são grandes, mas, nesse caso, o mais importante é o desenvolvimento progressivo da parceria”, disse Svetchnikov.

Brasil


“O carro blindado ‘Tigre’ foi bem-sucedido no ciclo de testes realizado em uma das unidades especiais da polícia do Rio de Janeiro”, disse Svetchnikov. “Submetido a disparos de armas de fogo de pequeno calibre, o carro se mostrou capaz de proteger muito bem o pessoal envolvido.”

Os brasileiros ficaram aparentemente satisfeitos com as qualidades do carro. “Nossas propostas, inclusive para instalação de produção licenciada no Brasil, estão sendo analisadas pelo comitê brasileiro, mas estamos certos de que o ‘Tigre’ cumprirá perfeitamente todas as missões a ele atribuídas”, completou.

 

Colômbia


Em relação aos acordos com a Colômbia, Serguêi Svetchnikov afirmou que os dois países mantêm “relações duradouras e estáveis”.

A cooperação bilateral na área de equipamento de guerra mantém um mesmo nível em termos de volume, e seu principal item ainda são os helicópteros.

“Atualmente estamos elaborando programas para melhorar o serviço pós-venda e a formação de pilotos, fora outros programas que estão em fase de ajustes”, salientou.

Peru


Existe a hipótese de fornecimento de material de defesa antiaérea para o Exército e Aeronáutica do Peru, além de já realizarmos trabalhos de reparação de equipamentos adquiridos no passado”, contou Svetchnikov.

O lado russo espera, contudo, ampliar ainda mais a cooperação no futuro. “Nos últimos cinco a seis anos, a parceria foi intensificada e fechamos contratos de fornecimento de helicópteros  Mi-171Ш e Mi-35P, e de mísseis anticarro Kornet”, ressaltou, lembrando que a entrega dos helicópteros foi cumprida em um prazo muito curto.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.