Putin buscará fortalecimento de relação com países do Brics em novo mandato

Ilustração: Niyaz Karim

Ilustração: Niyaz Karim

Vladímir Pútin retornou à presidência da Rússia depois de ganhar 63,6% dos votos. O objetivo principal de seu mandato será consolidar a Federação da Rússia como um dos polos de poder mundial.

Para isso, a Rússia deve espelhar-se em seus companheiros do Brics, grupo composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Esses países compartilham certas características que lhes dão poder na nova ordem mundial. Possuem grandes territórios, numerosas populações, e, o mais importante, altas taxas de crescimento econômico. Esses fatores serão decisivos na criação de uma nova estrutura de poder multilateral, cujo objetivo é destacar a importância da cooperação regional e o papel das organizações internacionais na agenda mundial.

Para a Rússia, é essencial manter um bom relacionamento com esses países. As relações com o Brasil, por exemplo, são principalmente comerciais. Ambos os países aumentaram o intercâmbio e agora planejam eliminar o dólar em suas transações bilaterais. Por seu lado, as relações com a Índia, onde no final deste mês haverá uma nova reunião ente os líderes dos Brics, baseiam-se na complementaridade de economias: a Rússia oferece seus recursos energéticos e em troca adquire o trabalho da Índia em software e serviços. O papel da África do Sul dentro do grupo ainda não está determinado, pois seu ingresso é muito recente.

Mas, sem dúvida, as relações com a China são as mais importantes para a Rússia, não só por causa do crescimento econômico chinês, mas também por causa da proximidade geográfica e porque os dois países compartilham uma zona de influência de poder na Ásia Central. A ligação entre a Rússia e a China tem importância estratégica na política internacional. Nesse contexto, o mandato de Pútin deve se concentrar no fortalecimento da região oriental do país.

Com o retorno de Pútin ao Kremlin, as relações com a China se desenvolverão, intensificando a cooperação e a coordenação estratégica entre os dois países. Ambos buscam maior participação em organizações multilaterais, como a Organização Mundial do Comércio (OMC) e a Organização das Nações Unidas (ONU), onde compartilham as mesmas opiniões sobre diversos temas da agenda internacional.

A importância do Brics na política mundial atual é o resultado de uma parceria baseada em valores como a cooperação e o estabelecimento de uma nova ordem mundial, mais justa e equitativa.


Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.