Cientistas russos criam programa para proteger gato selvagem

Espécie denominada gato-de-pallas só é estudada na Rússia.

Cientistas russos colocaram coleiras de rádio em quatro dos vinte gatos-de-pallas (pequeno gato selvagem também conhecido como manul) protegidos pelo programa de acompanhamento do Parque Nacional de Daur, na região do Tranbaikal, disse à agência RIA-Nóvosti Vadim Kiriliuk, cientista que trabalha no parque.

Incluída em listas de animais ameaçados de extinção, a espécie soma entre 10 mil e 13 mil animais na região do Transbaikal.

“Temos a permissão para colocar coleiras de rádio em vinte animais. Planejamos concluir nosso trabalho até o final de março, enquanto ainda há neve. Sem a neve, é praticamente impossível localizar o animal, que tem cores escuras que se confundem com as cores do parque”, disse Kiriliuk.

A coleira pesa cerca de 60 gramas e tem vida útil de 18 meses.

“Temos um programa multidisciplinar de estudo do gato-de-pallas. Utilizamos armadilhas fotográficas, realizamos censos da população do animal e estudamos amostras de seus excrementos”, completou.

O gato-de-pallas é o menor representante de felinos selvagens do mundo e praticamente ainda não foi estudado. Até agora, a espécie só é estudada na Rússia. Com tamanho quase igual ao de um gato doméstico, o manul tem um corpo mais denso e mais maciço, com patas curtas e grossas e pelagem cerrada.

“Nossas observações permitiram verificar, por exemplo, que o animal não é agressivo. Conhecemos casos em que duas fêmeas davam à luz uma perto da outra e dois machos compartilhavam uma toca”, disse Kiriliuk.

O gato-de-pallas é encontrado em estepes e semi-desertos da Ásia, desde as montanhas da Sibéria Meridional no norte até as regiões norte da Índia no sul. Na Rússia, o gato-de-pallas vive nas estepes no sudeste do Altai, Tuva, Buriátia e Transbaikal.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.