Androide russo voará para o espaço em 2014

Androide SAR-400 copia integralmente os movimentos do operador e pode realizar de modo autônomo trabalhos mecânicosFoto: PressPhoto

Androide SAR-400 copia integralmente os movimentos do operador e pode realizar de modo autônomo trabalhos mecânicosFoto: PressPhoto

O irmão mais velho do robô que "cumprimentou" em 2008 o presidente Medvedev prepara-se para ser enviado à Estação Espacial Internacional.

Foi desenvolvido na Rússia um robô-astronauta humanoide capaz de trabalhar em órbita. Como os criadores disseram ao jornal "Izvestia", o SAR-400 copia integralmente os movimentos do operador e pode realizar de modo autônomo trabalhos mecânicos, como apertar parafusos, jogar xadrez e fazer revestimento em rachaduras.

Nos próximos dois anos, o robô será enviado para a Estação Espacial Internacional (EEI), e no futuro para a Lua, Marte e outros planetas. No entanto, os astronautas têm certeza de que nenhum robô é substituto para o homem.

"A qualidade humana mais importante é a capacidade de conhecer o mundo que nos rodeia. E isso nenhuma máquina pode fazer", afirma o astronauta Serguêi Avdeev.

Ele observou que o robô vai ser muito útil no espaço.

"O principal recurso deste robô é que, para gerenciá-lo, não é necessário simular o movimento de outros mecanismos. Ele age da mesma maneira que as pessoas nas mesmas condições. Ou seja, não é necessário calcular o movimento. Você pode apenas fazer o que você faz normalmente", explicou Avdeev.

Segundo o astronauta, em novembro de 2011, quando o SAR-400 foi testado no Centro de Treinamento de Astronautas, na Cidade das Estrelas, com a ajuda do robô os operadores apertaram parafusos, abriram as escotilhas da cópia terrestre do módulo russo da EEI e trabalharam com o complexo de treinamento "Saída", em que os futuros astronautas trabalham a saída para o espaço sideral.

Ao mesmo tempo, Avdeev acredita que, para um robô assim, a EEI é uma fase intermediária: "Ele foi projetado para tarefas muito mais interessantes do que ajudar os astronautas na EEI. Por isso, eu vejo a sua visita à estação como um teste".

O responsável pelo programa espacial de pilotagem da Agência Espacial Federal Russa (conhecida como Roskosmos), Oleg Saprikin, disse ao "Izvestia" que o SAR-400 é o primeiro robô russo espacial dos últimos 20 anos.

"O robô foi feito para o programa Buran, para a estação espacial Mir. No entanto, ele não foi aceito por nenhum dos dois. Desde então, não houve mais nenhum progresso. Este é o nosso primeiro passo em direção ao robô-astronauta", esclareceu Sapríkin.

Ele acrescentou que na EEI já se utilizam dispositivos robóticos, mas para operações padrão envolvendo a circulação de mercadorias e cargas. O primeiro robô humanoide enviado à EEI foi criado por americanos, mas ele "vive" em sua unidade e está praticamente inutilizado – após várias viagens ao espaço, descobriram um problema no sistema de controle.

Além disso, japoneses planejam enviar para a EEI o robô Asimo, que será destinado para a comunicação e alívio psicológico da tripulação. Ainda será lançado no espaço o robô Justin, em desenvolvimento pelos alemães.

O chefe da filial de Moscou da ONG Tecnologia Androide, que projetou o SAR-400 a pedido da Roskosmos, Andrêi Nossov, contou ao "Izvestia" que o robô russo se diferencia do trabalho ocidental pela capacidade de dar ao operador humano não apenas imagem e som, mas toda a gama de sensações, incluindo a tátil.

"Ele utiliza uma tecnologia especial que transmite a pressão da superfície na luva do manipulador. O operador, com o auxílio do robô, pode literalmente tocar a superfície. É uma sensação incrível", explica Nossov.

O cientista acrescentou que a princípio ele será usado no estudo de outros planetas – o operador irá controlar o robô com a ajuda de um colete especial e mãos de manipulação, e o robô, com o auxílio de câmeras, microfones e outros sensores, irá transmitir a imagem para os óculos de vídeo, o som para os fones de ouvido e as sensações táteis para as luvas.

"No entanto, nós ainda não descobrimos como transmitir o sinal. A luz leva 5 segundos para chegar à Lua, e 15 minutos para chegar a Marte. Mas nós estamos trabalhando nisso", informou Nossov.

Segundo ele, para trabalhar em locais remotos, onde a comunicação é difícil, serão utilizadas tecnologias de firmware supervisor, quando é dado ao robô um vetor de movimento ou quando é designada uma tarefa, que ele decidirá sozinho como implementar. Além disso, no "cérebro" do androide está embutido um software de operações automáticas para diferentes modos.

Dmitry Medvedev "relacionou-se" com o precursor do SAR-400 em dezembro de 2008, na primeira Convenção da Juventude Russa. O presidente então prometeu gastar bilhões de rublos na esfera da inovação, no entanto lembrou que espera "retornos consistentes e apropriados".

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.