Ministro anuncia criação de postos de atendimento depois de mortes em frio recorde

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Depois de registrar 64 mortes apenas em janeiro devido ao frio, Rússia anuncia a criação de postos especiais para alimentação e cuidados médicos de desabrigados. Enquanto o ministro para Situações de Emergência urge por ajuda do voluntariado estudantil, ONGs como a Doctor Liza, em Moscou, e a Notchlejka, em São Petersburgo, recolhem e distribuem doações.

O ministro para Situações de Emergência, Serguêi Shoigu, anunciou à agência Ria-Novosti na manhã desta sexta-feira (3), que o órgão criará pontos para alimentação e cuidados médicos de pessoas sem-teto em 50 regiões da Rússia.

O anúncio segue o comunicado feito na sexta-feira pelo vice do Ministério da Saúde, Maksim Topílin, de que 64 pessoas já morreram de frio no país apenas no mês de janeiro. Segundo Topilin, no primeiro mês do ano, 1.371 pessoas com hipotermia procuraram ajuda médica nessas regiões, entre elas, 25 crianças. Dessas, 779 foram hospitalizadas. Nenhuma criança morreu.

De acordo com Shoigu, a maioria das vítimas letais do frio é composta por desabrigados. “É também preciso mobilizar nossos estudantes voluntários”, disse à Ria.

Em Moscou, o principal site de voluntariado, Doctor Liza, se mobiliza para coletar doações e auxiliar os sem-teto com comida, roupas e tratamento médico.

“Recebemos doações e as repassamos todos os dias. Ontem, foram 44, hoje já são 106”, disse à Gazeta Russa Rustam Rustamov, voluntário do Doctor Liza.

Em São Petersburgo, além da instituição de caridade Notchlejka (“albergue”), voltada para desabrigados, o hostel Druziá (em russo, “amigos”) também coleta casacos, luvas, sapatos para doação.

Foram registradas temperaturas abaixo dos 30 graus negativos na noite desta sexta-feira na área europeia da Rússia, nas regiões de Moscou, Tversk, Kostroma, Smolensk e Briansk. Em Smolensk e Kaliningrado, a temperatura bateu um recorde de 60 anos, segundo o Gidrometsentr (Serviço Federal de Hidrometeorologia e Monitoramento do Meio Ambiente).

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.